Moagem de cana é a segunda maior já registrada em início de safra – UNICA

685

    Porto Alegre, 29 de abril de 2020 – A moagem de cana-de-açúcar totalizou 22,38 milhões de toneladas nos quinze primeiros dias de abril, segundo maior índice histórico para o período, menor apenas quando comparada as 32,94 milhões de toneladas apuradas nessa mesma quinzena da temporada 2016/2017. No comparativo quinzenal com o resultado observado em 2019 (13,90 milhões de toneladas), houve um crescimento de quase 8,5 milhões de toneladas, ou 61%.

   “Esse resultado mostra o esforço do setor sucroenergético em iniciar a safra, a despeito de todas as dificuldades decorrentes da pandemia do novo coronavírus e da disputa entre os produtores de petróleo”, declara Antonio Padua Rodrigues, diretor-técnico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA).

     Até 16 de abril, 178 unidades produtoras já estavam em operação no Centro-Sul (destas, 6 produzindo etanol de milho). Nessa mesma data do último ano eram 157. A expectativa é de que outras 32 unidades iniciem a safra na segunda metade de abril e outras 29 comecem a operar em maio. “Cabe lembrar, porém, que 20 unidades postergaram o início de suas atividades para quinzenas subsequentes devido ao cenário atual, incerto e preocupante”, lembrou Rodrigues.

     As produções de açúcar e de etanol aumentaram nesse início de safra. Nos primeiros 15 dias de abril, o volume fabricado do biocombustível somou 981,86 milhões de litros (180,14 milhões de litros de etanol anidro e 801,72 milhões de litros de etanol hidratado), alta de 32,70% em relação a mesma quinzena de 2019. O volume inclui a fabricação de etanol a partir do milho, que totalizou 86,30 milhões de litros até 16 de abril, ante 49,07 milhões de litros no mesmo período do ciclo 2019/2020 – alta de 75,87%

   No caso do açúcar, a produção atingiu 948,50 mil toneladas, mais do que o dobro verificado na safra passada (340,10 mil toneladas).

    Com isso, o percentual de cana-de-açúcar destinada à fabricação da comodity saltou de 23,49% em 2019 para 39,69% na primeira metade de abril do ano corrente. “Esse comportamento do mix favorável ao açúcar era esperado, em vista dos baixos preços praticados para o biocombustível“, disse.

     As informações partem da assessoria de imprensa da UNICA.

Revisão: Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA