Preocupações com geadas devem sustentar cotações do milho no Brasil

207

     Porto Alegre, 5 de maio de 2020 – O mercado brasileiro de milho deve registrar preços firmes nesta terça-feira. Além das preocupações com a falta de chuvas em áreas de safrinha, o temor com relação a perdas por geadas nos próximos dias deve fazer com que os produtores reduzam a oferta do cereal, o que deve garantir sustentação aos preços. No cenário internacional, a Bolsa de Chicago opera com ganhos, se recuperando das perdas registradas ontem.

CHICAGO

* A posição julho opera com alta de 1,75 centavo, ou 0,55%, cotada a US$ 3,17 1/4 por bushel.

* Em sessão marcada por grande volatilidade, o cereal chegou a ter perdas em meio à boa evolução do plantio nos Estados Unidos, que ficou acima do esperado por analistas, e a menor demanda pelo cereal em virtude do coronavírus. Mais próximo do intervalo, contudo, o mercado reverteu para o território positivo, avaliando a alta do petróleo.

* O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução do plantio das lavouras de milho. Até 3 de maio, a área plantada estava estimada em 51%. Em igual período do ano passado, o número era de 21%. Na semana passada, os trabalhos cobriam 27% da área. A média para os últimos cinco anos é de 39%.

* Ontem (4), os contratos de milho com entrega em julho fecharam a US$ 3,15 1/2, com baixa de 3,00 centavos, ou 0,94%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra baixa de 0,25% a R$ 5,510.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia não operam hoje por feriado. Hong Kong subiu 1,08% e Jacarta teve alta de 0,54%. Tóquio e Xangai não abriram.

* As principais bolsas na Europa operam em alta. Paris, +1,54%; Frankfurt, +1,49%; Londres, +1,78%.

* O petróleo opera com ganhos. Junho do WTI em NY: US$ 23,01 o barril

(+12,89%).

* O Dollar Index registra alta de 0,3%, a 99,78 pontos.

MERCADO

* O mercado brasileiro de milho abriu a semana com preços de estáveis a mais altos. A forte alta do dólar e as preocupações com o clima nas regiões produtoras do Brasil, com tendência de forte queda nas temperaturas, garantiu sustentação ao mercado.

* Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, O mercado iniciou a semana pouco ofertado. “O real altamente desvalorizado, além da previsão de geadas entre os dias 07 e 08 no Oeste do Paraná, Paraguai e sul do Mato Grosso do Sul afastou os produtores do mercado”, comenta o analista.

* No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 47,50 e R$ 50,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço entre R$ 46,00 e R$ 50,00 a saca.

* No Paraná, a cotação ficou em R$ 45,00/47,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 48,50/50,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 0,50/52,00 a saca.

* No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 46,00/48,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 42,00/44,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 41,00 – R$ 42,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 42,00/43,00 a saca em Rondonópolis.

AGENDA

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

—–Quarta-feira (6/05)

– Japão: A bolsa de Tóquio permanece fechada em razão de um feriado. 

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30 pelo Departamento de Energia (DoE).

– Definição da taxa Selic – Copom/BC, após o fechamento do mercado.

—–Quinta-feira (7/05)

– China: A balança comercial de abril será publicada na noite anterior pela alfândega.

– A Comissão Europeia divulga suas projeções econômicas.

– Alemanha: A produção industrial de março será publicada às 3h pelo Ministério de Economia e Tecnologia.

– Reino Unido: A decisão de política monetária será publicada às 8h pelo Banco da Inglaterra.

– Reino Unido: O Relatório de Inflação, documento trimestral com projeções para a economia, será publicado às 8h pelo Banco da Inglaterra.

– Produção mundial de grãos – AMIS/FAO, no início do dia.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Produção, vendas e exportação de máquinas agrícolas em abril – Anfavea, a partir das 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (1/05)

– Reino Unido: A bolsa de Londres permanece fechada em razão de um feriado.  

– Alemanha: O resultado da balança comercial e do balanço de pagamentos de março será publicado às 3h pelo Destatis.

– A FGV divulga às 8h os dados do Indice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) referentes a abril.

– O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) referentes a abril.

– O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) referentes a abril.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– EUA: O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a abril serão publicados às 9h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Previsão para a safra de soja e milho do Brasil em 2019/20 – SAFRAS & Mercado, 12hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Dados de colheita da soja no Brasil – SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA