Algodão registra preços fracos, mesmo com dólar e NY subindo

308

     Porto Alegre, 06 de maio de 2020 – O mercado doméstico de algodão segue buscando um novo patamar de equilíbrio diante de uma realidade de estrangulamento da oferta interna e de iminência de uma safra cheia no país. Desta forma, como destaca o consultor de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, nesta quarta-feira, nem mesmo a alta combinada do dólar em relação ao real e de Nova York – que tornaram o produto nacional ainda mais competitivo – conseguiu estancar a sequência de queda verificada nos últimos dias.

     A indicação média nas indústrias de São Paulo ficou em R$ 2,65/libra-peso, com queda de 0,38% em relação ao dia anterior e acumulando perdas de 6,23% e de 9,6%, relação ao mesmo período do mês e do ano passado, respectivamente. No FOB exportação do porto de Santos/SP a pluma fechou a 46,93 cents de dólar por libra-peso (c/lb), o que corresponde a uma queda de 14,4% em relação ao mesmo período do mês passado. Comparado ao contrato de maior liquidez negociado na Bolsa de Nova York o produto brasileiro FOB exportação está 13,9% inferior. Há um mês era 3,3% superior.

NY

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais altos nesta quarta-feira.

     O algodão teve um dia de recuperação técnica após as perdas desta segunda e terça-feira. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, o mercado buscou uma recuperação técnica frente às recentes perdas, causadas pelo temor de uma nova guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. “Agora,as atenções estão voltadas para as exportações semanais norte-americanas, que saem amanhã”, destacou.

     Também já há um posicionamento frente ao relatório de oferta de demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que sai na próxima terça-feira, dia 12. “Teremos o primeiro quadro para a temporada 2020/21”, lembra Bento. 

     Os contratos com entrega em julho/2020 fecharam no dia a 54,51 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,93 centavo, ou de 1,7%. Dezembro fechou a 56,23 centavos, com valorização de 0,81 centavo, ou de 1,5%.

CÂMBIO

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 2,03%, sendo negociado a R$ 5,7040 para venda e a R$ 5,7020 para compra, renovando a máxima histórica de fechamento. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,5960 e a máxima de R$ 5,7070.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA