Boi gordo tem demanda enfraquecida apesar do Dia das Mães

256

     Porto Alegre, 08 de maio de 2020 – O mercado físico do boi gordo teve preços pouco alterados nesta semana. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a primeira quinzena de maio vem sendo marcada por vendas muito abaixo do normal no atacado. “O prolongamento do distanciamento social, com o fechamento de restaurantes, bares, redes hoteleiras e outros estabelecimentos, continua afetando a demanda mesmo com a proximidade do Dia das Mães, um dos pontos altos de consumo de carne bovina de todos os anos”, assinalou.

    A retração econômica reduz o consumo de cortes nobres, direcionando a demanda para cortes mais acessíveis, a exemplo dos cortes do dianteiro e da carne de frango propriamente dita.  Ao mesmo tempo, a oferta tende a começar a crescer com o desgaste das pastagens provocado pelo clima mais frio e seco, fator que reduz a capacidade de retenção por parte dos pecuaristas.

    O ponto de sustentação para os frigoríficos permanece na grande demanda asiática em função do déficit local no mercado de proteínas. Os embarques para a China continuam acontecendo de forma acentuada

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade à prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 07 de maio:

* São Paulo (Capital) – R$ 193,00 a arroba, contra R$ 192,00 a arroba em 29 de abril, subindo 0,52%.

* Goiás (Goiânia) – R$ 180,00 a arroba, ante R$ 175,00 a arroba (+2,9%).

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 184,00 a arroba, estável.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 178,00 a arroba, contra R$ 175,00 a arroba (+1,7%).

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 175,00 a arroba, ante R$ 174,00 a arroba (+0,6%).

Exportação

     A receita diária média obtida com as exportações brasileiras de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada foi de US$ US$ 25,456 milhões no acumulado de abril, que contou com 20 dias úteis, com embarques entre os dias 01 e 30.

    Na comparação com a média diária de abril de 2019, de US$ 20,336 milhões, verifica-se alta de 25,18% no valor obtido diariamente pelas exportações de carne bovina.

    Nos 20 dias úteis contabilizados em abril até o dia 30, foram exportadas 116,296 mil toneladas de carne bovina, com receita total de US$ 509,128 milhões e um preço médio de US$ 4.377,90 por tonelada.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) /     Agência SAFRAS Copyright 2020 – Grupo CMA