Plantio do trigo avança no Brasil e preços seguem elevados

358

Porto Alegre, 15 de maio de 2020 – O mercado brasileiro de trigo segue atento às variações do dólar em relação ao real, que influenciam diretamente nos custos de importação. Apesar da queda de ontem, a moeda norte-americana segue valorizada em relação à brasileira, encarecendo a aquisição do grão no mercado externo. Os agentes também acompanham o início dos trabalhos de plantio pelo Brasil.

Por enquanto, as cotações domésticas se mantêm com pedidas firmes. Os produtores estão pouco dispostos a negociar, o que deixa reduzida a liquidez. Os compradores por sua vez buscam alternativas atrativas. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, a tendência ainda é de maior procura pelo cereal conforme há maior proximidade do encerramento desta temporada, no final de junho, e da colheita, em agosto, favorecendo a possibilidade de maiores recuperações de preços, principalmente se a taxa cambial seguir elevada.

Conab

A produção brasileira de trigo em 2020 deverá ficar em 5,433 milhões de toneladas, segundo o oitavo levantamento para a safra brasileira de grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), subindo 5,4% sobre a temporada passada, quando foram colhidas 5,155 milhões de toneladas. Em abril, a Conab apostava em safra de 5,431 milhões de toneladas.

A Conab indica uma área plantada de 2,089 milhões de hectares, contra 2,040 milhões do ano anterior. A produtividade está projetada em 2.601 quilos por hectare, 3% acima do ano anterior, quando o rendimento ficou em 2.526 quilos por hectare.

IBGE

Para o IBGE, a produção do trigo foi estimada em 6,2 milhões de toneladas, crescimento de 27,7% em relação a março. Em relação ao ano anterior, a estimativa é 19,4% maior. A Região Sul deve responder, em 2020, por 88,7% da produção tritícola nacional.

No Paraná, a produção foi estimada em 3,5 milhões de toneladas, crescimento de 63,2% em relação ao mês anterior. O rendimento médio e a área plantada cresceram 55,4% e 5,0%, respectivamente. A produção paranaense subiu 64,1% em relação a 2019.

O Rio Grande do Sul deve produzir 1,9 milhão de toneladas, declínio de 17,5% em relação ao ano anterior e, Santa Catarina, 155,1 mil toneladas. Com informações do Departamento de Comunicação Social do IBGE.

Paraná

O plantio de trigo no Paraná atingia 35% de área até o último dia 11. Segundo o Departamento de Economia Rural do estado, o Deral, 80% das lavouras estavam em germinação e 20% em desenvolvimento vegetativo. A maioria das lavouras (69%) estavam em boas condições.

A semeadura de trigo chegava a 46% na área de abrangência da Cooperativa Coopavel, que atua em 17 municípios do oeste e sudoeste do Paraná, de acordo com relatório do dia 11 de maio. Conforme fonte da cooperativa, que concedeu entrevista exclusiva à Agência SAFRAS, a região recebeu chuvas que, apesar de irregulares, são benéficas ao plantio. A área a ser semeada está estimada em 99,5 mil hectares, ante cerca de 96 mil hectares na temporada passada. Das lavouras já semeadas, 14% estão em fase de desenvolvimento vegetativo e 86% em emergência. A produtividade média está estimada em 3.540 quilos por hectare, ante 3.530 quilos na semana anterior.

O plantio de trigo em Palotina, no oeste do Paraná, atinge 80% da área projetada para 2020. A superfície deve ficar entre 4 e 4,3 mil hectares. Segundo o engenheiro agrônomo da C.Vale, Alan de Melo, os trabalhos avançaram significativamente na última semana e devem ser finalizados até o próximo dia 22. “As chuvas dos últimos dias encorajaram os produtores a voltarem a campo”, disse. O desenvolvimento atrasado das lavouras vem sendo motivo de preocupação. Até o momento, 50% estão em fase de emergência e 30% em início de desenvolvimento vegetativo. O ideal seria que todas as áreas já tivessem sido plantadas e emergidas. Ainda assim, o término da semeadura até o final do mês permite projetar uma situação favorável para a colheita antes da época chuvosa em setembro. A produtividade para esta safra é estimada entre 57 e 60 sacas por hectare.

Rio Grande do Sul

O plantio de trigo atinge 5% da área em Santa Rosa, no noroeste do Rio Grande do Sul. Segundo o engenheiro agrônomo da Cotrirosa, Taciano Reginatto, a chegada de chuvas nessa semana paralisou os trabalhos. No final de semana, os produtores devem voltar a campo e a semeadura deve avançar significativamente. Ele projeta que o implante atinga 70% até o final do mês. A área no município é estimada entre 10 e 11 mil hectares. A produtividade é esperada em 50 sacas por hectare.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA