Chuvas minimizam déficit hídrico em áreas cafeeiras do sul de Minas Gerais

718

  Porto Alegre, 19 de maio de 2020 – Chuvas ocorridas na última semana auxiliaram parcialmente e minimizaram o déficit hídrico sobre regiões cafeeiras do Paraná e no sul de Minas Gerais. “De maneira geral, as chuvas não prejudicaram os trabalhos de colheita ou a qualidade dos grãos, uma vez que os volumes registrados não foram elevados e as precipitações não foram prolongadas. Houve apenas algumas paralisações momentâneas nos trabalhos de campo” disse o agrometeorologista da Rural Clima, Marco Antônio dos Santos.

     Segundo ele, mesmo no Espírito Santo, onde a colheita do café arábica já iniciou há algum tempo, as chuvas da última semana não prejudicaram o andamento da colheita. Em São Paulo, as chuvas foram pouco significativas em termos de volume, não contribuindo muito para reduzir o déficit hídrico. Por outro lado, os trabalhos de colheita conseguiram avançar sem maiores problemas.

     Conforme relatórios da Rural Clima, na Região Nordeste, as condições climáticas se mantêm favoráveis ao desenvolvimento dos cafezais no estado da Bahia, onde as lavouras apresentam bom aspecto fitossanitário.

     Na Região Sul, o avanço de uma frente fria a partir da próxima quinta-feira, deverá trazer chuvas sobre as regiões cafeeiras do Paraná até a sexta-feira, que irão auxiliar na elevação dos níveis de umidade do solo, melhorando as condições ao desenvolvimento final das lavouras que estão entrando na fase de maturação. Essas chuvas não deverão se prolongar por mais do que um dia, provocando apenas paralisações momentâneas nos trabalhos de campo.

    Após a passagem dessa frente fria, as temperaturas deverão sofrer queda mais acentuada, uma vez que uma massa de ar polar avançará pela região centro-sul. “No entanto, até o momento, não há indícios para ocorrência de geadas em regiões cafeeiras”, frisou Santos.

    Com o avanço dessa frente fria pela Região Sudeste, há previsões para ocorrência de pancadas de chuvas sobre as regiões cafeeiras de São e do sul de Minas Gerais. Essas chuvas serão irregulares, podendo variar

de intensidade entre regiões. A Rural Clima salienta que em São Paulo muitas áreas já estão sem chuvas significavas há mais de 30 dias. Esse sistema deverá provocar chuvas, principalmente na região mais ao sule oeste do estado, melhorando as condições de déficit hídrico nessas áreas. Já na região mais leste do estado, essas chuvas poderão ocorrer de maneira menos significava.

    Em Minas Gerais, a tendência é que esse sistema provoque chuvas sobre as regiões cafeeiras do estado no próximo sábado. No entanto, os volumes previstos são muito baixos e poderão ocorrer de maneira pouco significava em várias áreas. Em relação as temperaturas, os índices deverão ficar mais elevados ao longo dos próximos dias, devendo sofrer queda um pouco mais intensa após a passagem dessa frente fria. “No entanto, até o momento, não há previsão para geadas”, disse Santos.

    Ainda conforme a Rural Clima, não há previsão de chuvas significavas que possam provocam problemas às lavouras cafeeiras da Região Nordeste nos próximos dias. Com isso, os produtores conseguirão realizar os tratos culturais sem maiores problemas, e o tempo mais seco também irá favorecer a maturação dos frutos.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA