Com pandemia, crescimento do consumo cai e gera oferta excedente, diz consultor de SAFRAS em Live

473


     Porto Alegre, 22 de maio de 2020 – O crescimento do consumo de café foi afetado pela pandemia do coronavírus, devendo ser menor em 2020, ficando em torno de 0,5%, contra uma média normal de 2,5% a 3,0% ao ano. E a forma de consumo está sendo modificada. A análise é do consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach, que participou de live no Instagram de SAFRAS, realizada nesta sexta-feira, com apresentação do jornalista e editor chefe da Agência SAFRAS, Dylan Della Pasqua. O tema da live foi a “A chegada da safra brasileira de 2020 e os rumos do mercado de café”.

     Com a pandemia, observou Barabach, em um primeiro momento a demanda foi intensificada com o maior consumo dentro dos lares. Mas, o consumo fora do lar caiu com as medidas de distanciamento social. “O cenário de recessão mundial diminui o ritmo de crescimento do consumo. A produção não é afetada, mas sobra mais café, o menor consumo gera excedentes”, afirmou.

     Com a recessão econômica diante da pandemia, há a tendência de diminuição no consumo de cafés especiais, mais caros, com a tendência das famílias trocarem por cafés mais normais. Mas, passado esse momento de crise, o consumo de cafés especiais pode voltar a crescer.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA