Demanda chinesa impulsiona exportações de soja do Brasil

676


     Porto Alegre, 22 de maio de 2020 As exportações de soja do Brasil deverão totalizar 77,5 milhões de toneladas em 2020, subindo 5% sobre o volume de 2019, projetado em 74,038 milhões de toneladas. A previsão faz parte do quadro de oferta e demanda brasileiro, divulgado por SAFRAS & Mercado.

     No quadro de abril, a estimativa para 2020 era de 73 milhões de toneladas. “O aumento na projeção é reflexo da demanda chinesa acima do normal no primeiro semestre do ano, bem superior ao esperado”, explica o analista de SAFRAS & Mercado, Luiz Fernando Roque.

     SAFRAS indica esmagamento de 43,5 milhões de toneladas em 2020 e de 43 milhões de toneladas em 2019, representando um aumento de 1% entre uma temporada e outra.

     Em relação à temporada 2020, a oferta total de soja deverá subir 4%, passando para 125,819 milhões de toneladas. A demanda total está projetada por SAFRAS em 124,3 milhões de toneladas, crescendo 3% sobre o ano anterior. Desta forma, os estoques finais deverão subir 58%, passando de 960 mil para 1,519 milhão de toneladas.

     Subprodutos

     SAFRAS trabalha com uma produção de farelo de soja de 33,103 milhões de toneladas, com aumento de 1%. As exportações deverão cair 1% para 16,5 milhões de toneladas, enquanto o consumo interno está projetado em 16,6 milhões, aumento de 1%. Os estoques deverão ficar praticamente inalterados em 1,192 milhão de toneladas.

     A produção de óleo de soja deverá ficar em 8,68 milhões de toneladas. O Brasil deverá exportar 700 mil toneladas, com queda de 26% sobre o ano anterior. O consumo interno deve subir de 7,75 milhões para 8,1 milhões de toneladas. A previsão é de recuo de 33% nos estoques para 143 mil toneladas.

     Mercado

     O mercado brasileiro de soja teve uma semana de negócios pontuais e de dificuldade na formação dos preços, que caíram de forma generalizada. O dólar recuou forte na semana, assim com os contratos futuros em Chicago. Os agentes se retraíram e as indicações são nominais na maioria das praças.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos baixou para R$ 109,00. Na região das Missões, a cotação recuou para R$ 108,50. No porto de Rio Grande, o preço baixou para R$ 111,00, após ter atingido a casa de R$ 116,00 na semana passada.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço passou para R$ 103,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca recuou para 110,00, depois de bater em R$ 114,50 na semana anterior.

     Em Rondonópolis (MT), a saca caiu para R$ 101,00. Em Dourados (MS), a cotação baixou para R$ 95,00. Em Rio Verde (GO), a saca caiu dpara R$ 99,00.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA