Desgaste das pastagens pressiona preços do boi gordo na semana

369

     Porto Alegre, 22 de maio de 2020 – O mercado físico do boi gordo teve preços mais baixos nesta semana. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a capacidade de retenção das boiadas no pasto não é a mesma neste período de final de safra, diante do maior desgaste das pastagens. “Com isso, não resta outra alternativa ao pecuarista que não colocar o gado para a venda”, assinalou.

     Já no final da semana houve um repique pontual nos preços em algumas regiões, com os frigoríficos enfrentando dificuldades para pressionar o pecuarista, resultado de uma oferta mais discreta no final de uma safra marcada pela retenção de matrizes

     “A demanda doméstica de carne bovina, contudo, permanece enfraquecida, ainda um desdobramento das estratégias de distanciamento social que vigoram em relevantes centros de consumo, a exemplo de São Paulo. A China permanece muito atuante no mercado, comprando volumes significativos de proteína animal neste ano, prerrogativa que deve se sustentar no curto e no médio prazo”, assinalou.

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade à prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 21 de maio:

* São Paulo (Capital) – R$ 191,00 a arroba, na comparação com R$ 193,00 a arroba em 14 de maio (-1%).

* Goiás (Goiânia) – R$ 180,00 a arroba, inalterado.

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 184,00 a arroba, ante R$ 185,00 a arroba (-0,54%.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 176,00 a arroba, contra R$ 177,00 a arroba (-0,56%).

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 172,00 a arroba, ante R$ 174,00 a arroba (-1,15%).

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA