Dia deve ser lento e com preços da soja sob pressão no Brasil

241

     Porto Alegre, 29 de maio de 2020 – O mercado brasileiro de soja deve ter mais um dia de poucos e pontuais negócios e de preços mistos e nominais. Bem capitalizado, o produtor está retraído e só negocia o extremamente necessário para adquirir insumo, aproveitando um dólar um pouco mais baixo. Neste momento, Chicago e dólar recuam, favorecendo ainda mais o cenário de retração.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em julho apresentam desvalorização de 0,44%, cotados a US$ 8,43 1/4 por bushel.

* O mercado mantém a fraqueza da quinta-feira, pressionado pela tensão entre os Estados Unidos e a China, o que pode afetar a demanda pela oleaginosa.

* No acumulado da semana, porém, ainda há ganhos em torno de 1,3%. No mês, a queda se aproxima de 1%.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para junho ficou em 80 a 95 pontos acima de Chicago. Para julho, o valor é de 103 a 115 pontos acima.

* A firmeza dos prêmios é reflexo da previsão de demanda firme pela soja brasileira, em meio às tensões entre China e Estados Unidos, e da retração dos produtores.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra baixa de 0,14% a R$ 5,375.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, +0,22%. Tóquio, -0,18%.

* As principais bolsas na Europa operam com perdas. Paris, -0,68%; Frankfurt, +0,98%; Londres, -0,95%.

* O petróleo opera com perdas. Julho do WTI em NY: US$ 33,08 o barril (-1,89%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,4%, a 97,99 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado brasileiro de soja teve mais um dia de negócios pontuais e preços mistos, na maior parte das praças cotações apenas nominais. O dólar se recuperou frente ao real, mas Chicago caiu forte na maior parte do dia. Se recuperando apenas na parte final, mas ainda assim encerrado com perdas.

* Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 103,00 para R$ 104,00. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 102,50 para R$ 103,50. No porto de Rio Grande, o preço aumentou de R$ 105,00 para R$ 106,00.

* Em Cascavel, no Paraná, o preço passou de R$ 98,50 para R$ 99,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 105,00 para R$ 105,50.

* Em Rondonópolis (MT), a saca baixou de R$ 97,50 para R$ 97,00. Em Dourados (MS), a cotação avançou de R$ 92,00 para R$ 93,00. Em Rio Verde (GO), a saca subiu de R$ 97,00 para R$ 97,50.

AGENDA

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Resultado financeiro da Cosan, após o fechamento do mercado.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA