Coronavírus e maior volume atrasam colheita do café

295

     Porto Alegre, 05 de junho de 2019 – A colheita de café da safra brasileira 2020/21 está em 23% até o dia 2 de junho. O número faz parte do levantamento semanal de SAFRAS & Mercado para a evolução da colheita da safra. Na semana anterior, o índice era de 18%. Tomando por base a estimativa de SAFRAS para a produção de café do Brasil em 2020/21 de 68,1 milhões de sacas de 60 quilos, é apontado que foram colhidas 15,4 milhões de sacas até o dia 2.

    A colheita está atrasada em relação ao ano passado, quando 30% da safra estava colhida neste período. Os trabalhos também estão atrasados frente à média dos últimos 5 anos, que é de 25%.

     Segundo o analista e consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach, os trabalhos seguem bem arrastados em algumas regiões, onde os produtores seguram o início do trabalho, esperando um percentual maior de maturação. “Além dos protocolos do coronavírus, o próprio gigantismo da safra recorde colhida nesse ano também impõe um ritmo mais lento à evolução dos trabalhos, particularmente em comparação ao ano passado onde a safra foi bem menor”, explica.

Cooxupé

     A colheita de café pelos cooperados da Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé), que envolve as regiões do sul de Minas Gerais, cerrado mineiro e partes de São Paulo, estava em 8,9% até o dia 29 de maio. É o que indica o levantamento semanal da Cooxupé.

     Segundo o relatório, a colheita está atrasada este ano em relação ao ano passado. Em igual período do ano passado a colheita estava em 18,42%. As informações partem do setor de comunicação da cooperativa. No levantamento, a Cooxupé indicou que no sul de Minas Gerais a colheita pelos cooperados estava em 11,6%; no cerrado mineiro em 3,62%; e nas partes de São Paulo em 13,85%.

      Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS Copyright 2020 – Grupo CMA