Preço do arroz interrompe escalada e cai, acompanhando dólar

255

     Porto Alegre, 5 de junho de 2020 – Os preços domésticos do arroz começaram a recuar nesta primeira semana de junho, refletindo a queda significativa do dólar frente ao real. Na média do Rio Grande do Sul, estado referência ao produto nacional, a indicação ficou em R$ 62,07 por saca de 50 quilos no dia 4 de junho, ante R$ 63,17 por saca no dia 28 de maio. Em 30 dias, ainda havia alta de 8,38%. Frente ao mesmo período do ano anterior, a elevação era de 39,82%.

     Após quase atingir R$ 6,00 no dia 14 de maio, a moeda norte-americana vem despencando nas últimas sessões. Às 11h15, o dólar recuava 3%, cotado R$ 4,9790. Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Gabriel Viana, a queda interna da cotação do arroz só não é maior pela firmeza das cotações na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT). “Os preços internacionais sobem forte com um movimento de fundos especuladores, de olho na demanda global do produto considerado chave para segurança alimentar neste momento de incertezas com o coronavirus”, explica.

     A produção mundial de arroz em 2020/21 deverá totalizar 508,7 milhões de toneladas, contra 500,6 milhões do ano anterior. A estimativa faz parte do relatório de junho do Sistema de Informação do Mercado Agrícola (AMIS), órgão do G-20 para divulgar dados de oferta e demanda das principais commodities globais. Esta é a primeira estimativa da temporada.

     A produção em 2020 deverá ser recorde, resultado de clima perto do normal e preços mais atraentes, principalmente na China, Laos, Paquistão, Tailândia e Estados Unidos, além do crescimento contínuo na Índia.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA