Mercado de milho deve seguir cauteloso, atento ao câmbio e à colheita

297

     Porto Alegre, 10 de junho de 2020 – O mercado brasileiro de milho deve manter um ritmo de cautela nos negócios, em meio à queda do dólar frente ao real e ao aumento da oferta de milho safrinha. No cenário internacional a Bolsa de Chicago opera em queda, embolsando lucros.

     O mercado brasileiro de milho manteve preços fracos nesta terça-feira, de estáveis a moderadamente mais baixos. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, o período de pré-colheita da safrinha pesa sobre as cotações. Além disso, com as oscilações do dólar, “os preços estão se ajustando à linha do porto, com mais pressão de venda”.

     No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 44,50 e R$ 46,50 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço entre R$ 43,50 e R$ 46,00 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 42,00/44,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 46,00/47,50 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 48,00/49,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 46,00/48,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 43,00/45,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 39,00 – R$ 40,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 32,00/34,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* A posição julho opera com baixa de 2,75 centavos, ou 0,83%, cotada a US$ 3,24 3/4 por bushel.

* O mercado estende o movimento de realização de lucros, buscando um posicionamento frente ao relatório de junho do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado amanhã.

* A produção de milho dos Estados Unidos para a temporada 2020/21 deve ser apontada em 15,924 milhões de bushels, aquém dos 15,995 bilhões previstos em maio. O volume segue acima dos 13,692 bilhões de bushels previstos para 019/20, segundo adidos e traders consultados por agências internacionais.

* Os estoques de passagem da safra 2019/20 dos Estados Unidos devem ser indicados em 2,154 bilhões de bushels, acima dos 2,098 bilhões de bushels apontados em maio. Para a temporada 2020/21 as projeções apontam para um estoque final de passagem norte-americano de 3,340 bilhões de bushels ante os 3,318 bilhões estimados no mês passado.

* Ontem (9), os contratos de milho com entrega em julho fecharam a US$ 3,27 1/2, com baixa de 6,25 centavos, ou 1,87%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra baixa de 0,53% a R$ 4,871.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, -0,42%. Tóquio, +0,15%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, -0,16%; Frankfurt, 0,04%; Londres, +0,27%.

* O petróleo opera com perdas. Julho do WTI em NY: US$ 38,22 o barril (-1,87%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,19%, a 96,14 pontos.

AGENDA

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

– EUA: A decisão de política monetária de janeiro será publicada às 15h pelo Federal Reserve.

– EUA: As projeções para a economia serão publicadas às 15h pelo Federal Reserve.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Quinta-feira (11/06)

– Feriado – Corpus Christi

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Relatório de junho de oferta e demanda mundial e dos Estados Unidos – USDA,

 13hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos

Aires, 15hs.

—–Sexta-feira (12/06)

– Reino Unido: A produção industrial de abril será publicada às 3h pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A balança comercial de abril será publicada às 3h pelo departamento de estatísticas.

– Eurozona: A produção industrial de abril será publicada às 6h pela Eurostat.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA