Grande demanda segue impulsionando exportações de açúcar do Brasil

423

     Porto Alegre, 12 de junho de 2020 – Com o final antecipado de safras de cana por conta de adversidades climáticas nos mais importantes países produtores de açúcar da Ásia, os importadores internacionais estão se voltando cada vez mais ao Brasil, provocando congestionamentos no principal porto do país.

    Na Índia, segunda maior produtora mundial de açúcar, atrás apenas do Brasil, dois ciclones extratropicais já foram registrados, antes mesmo do início da temporada de chuvas de monção, crucial para determinar o rendimento agrícola da cana e outras importantes culturas.

     Refletindo a grande demanda externa, a primeira semana de junho teve mais uma vez números expressivos de exportação de açúcar. Conforme a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), a receita diária média obtida com as exportações brasileiras de açúcar e outros melaços em junho foi de US$ 38,767 milhões até o dia 07 (cinco dias úteis). Já o volume médio diário de exportações chegou a 143,736 mil toneladas.

   Foram exportadas 718.681 toneladas de açúcar no período, com receita total de US$ 193,835 milhões e um preço médio de US$ 269,70 por tonelada. Na comparação com a média diária de junho de 2019, de US$ 23,699 milhões, verificou-se alta de 63,58% no valor obtido diariamente pelas exportações de açúcar na média acumulada de junho.

  Em volume, houve crescimento de 77,35%, ante as 81,046 mil toneladas diariamente embarcadas em junho de 2019. Porém, o preço médio caiu 7,76%, ante os US$ 292,40 por tonelada verificados em junho de 2019.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA