Números do USDA trazem poucas surpresas para soja

539


     Porto Alegre, 12 de junho de 2020 O relatório de junho do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) não trouxe grandes surpresas para a soja. A previsão de safra americana foi mantida e os estoques reduzidos. As exportações também foram cortadas.

     O relatório indicou que a safra dos Estados Unidos de soja deverá ficar em 4,125 bilhões de bushels em 2020/21, o equivalente a 112,26 milhões de toneladas, repetindo a estimativa do mês anterior. O mercado apostava em safra de 4,152 bilhões ou 113 milhões de toneladas.

     Os estoques finais estão estimados em 395 milhões de bushels ou 10,75 milhões de toneladas. O mercado apostava em carryover de 459 milhões ou 12,49 milhões de toneladas. No relatório anterior, os estoques estavam projetados em 405 milhões de bushels – 11,022 milhões de toneladas.

     O USDA indicou esmagamento em 2,145 bilhões de bushels e exportação de 2,05 bilhões. Em maio, as projeções eram de 2,130 bilhões e 2,05 bilhões, respectivamente.

     A produção 2019/20 está estimada em 3,552 bilhões de bushels. Os estoques finais em 2019/20 estão projetados em 585 milhões de bushels, enquanto o mercado apostava em 584 milhões. No relatório anterior, o número era de 580 milhões. O esmagamento está estimado em 2,140 bilhões e as exportações em 1,65 bilhões de bushels.

     O USDA projetou safra mundial de soja em 2020/21 de 362,85 milhões de toneladas. Em maio, o número era de 362,76 milhões de toneladas.

     Os estoques finais estão estimados em 96,34 milhões de toneladas. O mercado esperava por estoques finais de 100,1 milhões de toneladas. Em maio, a previsão era de 98,39 milhões de toneladas.

     A projeção do USDA aposta em safra americana de 112,26 milhões de toneladas. Para o Brasil, a previsão é de uma produção de 131 milhões de toneladas. A Argentina deverá produzir 53,5 milhões de toneladas. A estimativa para as importações chinesas em 2020/21 é de 96 milhões de toneladas.

     Para 2019/20, o USDA indicou safra de 335,35 milhões de toneladas. Os estoques finais estão projetados em 99,19 milhões de toneladas, enquanto o mercado apostava em 100,3 milhões. A safra brasileira teve sua estimativa mantida em 124 milhões de toneladas. O mercado previa número de 123 milhões.

     A safra argentina foi cortada de 51 milhões para 50 milhões de toneladas, enquanto o mercado previa 51 milhões. As importações chinesas foram elevadas de 92 milhões para 94 milhões de toneladas.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA