Milho aguardando entrada da safrinha e “confuso” por volatilidade do câmbio

387

     Porto Alegre, 16 de junho de 2020 – O mercado brasileiro de milho registrou preços pouco alterados, de estáveis a levemente mais baixos. Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, o mercado interno segue em compasso de espera pela entrada da safrinha. Por enquanto, ocorre o início da colheita apenas no Mato Grosso. Molinari observa que a volatilidade no câmbio vem “confundindo” o direcionamento do mercado.

     No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 47,00 e R$ 49,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço entre R$ 47,00 e R$ 48,50 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 42,00/44,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 45,00/46,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 47,00/48,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 46,00/48,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 43,00/45,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 38,00 – R$ 39,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 33,00/34,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

     A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços predominantemente mais altos. Em sessão volátil, o mercado buscou suporte na piora das condições das lavouras norte-americanas.

     Porém, pesaram negativamente as declarações do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, e a notícia de que Pequim deverá fechar escolas nesta semana em meio ao retorno de casos confirmados de coronavírus na China, aumentando o receio de investidores com a segunda onda de contaminação de covid-19 no país asiático e nos Estados Unidos.

     O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA, até 14 de junho, 71% estavam entre boas e excelentes condições, 24% em situação regular e 5% em condições entre ruins e muito ruins. O mercado esperava 75% das lavouras entre boas e excelentes. Na semana anterior, os números eram de 75%, 21% e 4%, respectivamente.

     Os contratos de milho com entrega em julho fecharam a US$ 3,29, com baixa de 0,25 centavo, ou 0,07%, em relação ao fechamento anterior. A posição setembro fechou a sessão a US$ 3,34 1/4 por bushel, ganho de 0,50 centavo de dólar, ou 0,14%, em relação ao fechamento anterior.

Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 1,90%, sendo negociado a R$ 5,2390 para venda e a R$ 5,2370 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,0490 e a máxima de R$ 5,2420.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA