Alta do dólar eleva preços da soja e negócios ganham ritmo no Brasil

580


     Porto Alegre, 19 de junho de 2020 A semana no mercado brasileiro de soja foi de recuperação dos preços de melhor movimentação. Com o dólar voltando à casa de R$ 5,40, as cotações da oleaginosa subiram nas principais praças do país. A movimentação melhorou, envolvendo operações para 2020 e 2021.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu para R$ 112,00. Na região das Missões, a cotação avançou para R$ 111,50. No porto de Rio Grande, o preço passou para R$ 116,00.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço aumentou para R$ 108,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu para R$ 115,00.

     Em Rondonópolis (MT), a saca avançou para R$ 104,00. Em Dourados (MS), a cotação atingiu a casa de R$ 100,00. Em Rio Verde (GO), a saca aumentou também para R$ 100,00.

     A melhora nos preços da soja está ligada ao comportamento do dólar. A moeda americana subiu 6,42% nesta semana, pulando de R$ 5,046 para R$ 5,37 na semana. Os temores sobre uma segunda onda do coronavírus, comprometendo a recuperação global, e as incertezas políticas internas, sustentaram a moeda americana.

     As cotações domésticas também receberam impulso da alta moderada dos contratos futuros em Chicago. A posição julho teve elevação de 0,2% na semana, fechando a quinta na casa de US$ 8,73 por bushel. A boa demanda chinesa garantiu a alta, que foi limitada, no entanto, pelo bom desenvolvimento das lavouras americanas.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA