Milho tem preços sustentados pela valorização do dólar

290

     Porto Alegre, 19 de junho de 2020 – O mercado brasileiro de milho teve uma semana de preços sustentados pela valorização do dólar. Com a colheita da safrinha ainda não ganhando tanta intensidade e não trazendo assim maior pressão sobre as cotações, a alta da moeda americana garantiu suporte a avanços nos preços nos portos e sustentou também o mercado doméstico.

     Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, a colheita da safrinha ainda não traz maior pressão, já que ainda segue lenta em vários estados, andando mais no Mato Grosso nesta semana. Adiante, é natural um maior peso sobre os valores do milho com o aumento da oferta. A alta do dólar atenua, até porque é fator competitivo para os embarques do cereal.

     A exportação é a chave para o segundo semestre no mercado brasileiro de milho. E o Brasil vai precisar manter um ritmo de 4 milhões de toneladas exportadas ao mês até janeiro para fechar a temporada 2019/20 (fevereiro/janeiro) com embarques totais de 30 milhões de toneladas, o que é fundamental para o suporte dos preços, destacou Paulo Molinari, em recente live no Instagram de SAFRAS.

     Em uma semana, do dia 10 de junho (11 foi feriado) até esta quinta-feira (18), o dólar comercial subiu de R$ 4,935 para R$ 5,370, acumulando uma valorização de 8,8%.

     No Porto de Santos, o preço subiu do dia 10 de junho para o dia 18 de R$ 43,50 para R$ 49,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), o avanço no período foi de R$ 43,50 para R$ 49,00 a saca também.

     No mercado interno, no Paraná, a cotação em Cascavel no balanço semanal ficou estável em R$ 44,00 a saca na base de venda. Em São Paulo, preço na Mogiana recuou no comparativo semanal de R$ 47,50 para R$ 47,00. Em Campinas CIF, estabilidade no balanço em R$ 49,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, em Erechim o preço do milho subiu na semana na base de venda de R$ 48,00 para R$ 50,00 a saca. Em Minas Gerais, preço em R$ 45,00, estável em Uberlândia. No Mato Grosso, preço subiu no balanço semanal de R$ 34,00 para R$ 36,00 a saca em Rondonópolis.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2018 – Grupo CMA