Algodão tem baixa no Brasil com entrada da safra e dólar em queda

476

    Porto Alegre, 22 de junho de 2020 – Os preços domésticos sentiram os efeitos da proximidade do ingresso de uma safra recorde e da desvalorização do dólar em relação ao real e ingressaram na quarta semana do mês de junho com preços em queda. Na média do CIF das indústrias paulistas a pluma fechou indicada a R$ 2,70/libra-peso, com queda de 0,54% em relação ao fechamento da última sexta-feira. Quando se compara ao mesmo período do mês passado, acumula alta de 1,89% e, ante a igual momento do ano anterior, queda de 2,17%.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP a indicação fechou em 50,97 cents de dólar por libra-peso (c/lb), com alta de 4,07% em relação ao mesmo período do mês passado. Em relação ao contrato spot da pluma negociado na Bolsa de Nova York o produto brasileiro está 17,2% mais acessível. Há um mês era 14,9% mais acessível. “Esse novo distanciamento entre os preços nos dois principais exportadores mundiais pode ser explicado pela escassez de demanda interna e pela baixa presença de compradores internacionais”, avalia o consultor de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento.

     Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, até a terceira semana do mês de junho o Brasil exportou 33,601 mil toneladas de algodão, sendo 16,043 mil toneladas somente na terceira semana. Esse volume superou o da semana anterior em 102%. No acumulado do mês, contudo, apresenta uma queda de 23,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. O excedente de produção em relação ao consumo na atual temporada é estimado em 2,260 milhões de toneladas. Na anterior era de 2,2 milhões de toneladas. “Isso deixa claro que o grande desafio da cadeia produtiva na atual temporada é colocar excedentes recordes no mercado internacional”, indica Bento.

NY

     A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais altos nesta segunda-feira.

     Em sessão volátil em que NY buscou notícias e direcionamento, as cotações terminaram subindo acompanhando a valorização registrada pelo petróleo. Segundo traders, fatores técnicos contribuíram para os ganhos. As notícias partem de agências de notícias.

     Os contratos com entrega em julho/2020 fecharam no dia a 62,52 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,96 centavo, ou de 1,5%. Dezembro fechou a 59,85 centavos, com valorização de 0,04 centavo, ou de 0,1%.

CÂMBIO

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com baixa de 0,94%, sendo negociado a R$ 5,2680 para venda e a R$ 5,2660 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2000 e a máxima de R$ 5,2980.  

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA