Banco central da China mantém taxas de juros para empréstimos

373

     Porto Alegre, 22 de junho de 2020 – A China manteve sua taxa de referência para empréstimos de um ano em 3,85%, que o Banco do Povo da China (Pboc, o banco central do país) começou a medir em agosto do ano passado, com o objetivo de reduzir o custo dos empréstimos corporativos. As informações são da Agência CMA com a agência de notícias “Dow Jones”.

     Assim, a chamada taxa de referência para empréstimos de um ano permanece em 3,85% em junho, assim como em maio e abril, depois de 4,05% em fevereiro e março. A taxa de referência para empréstimos a cinco anos ficou em 4,65%, como no mês anterior.

     Essa nova taxa é calculada a partir das contribuições para os preços de vários bancos, incluindo pequenas instituições que tendem a ter maiores custos de financiamento e maiores exposição a empréstimos inadimplentes.

     A alteração na medição visa a “refletir melhor as mudanças do mercado para orientar os custos de endividamento em um nível mais baixo e, assim, apoiar a economia real”, de acordo com agência de notícias estatal “Xinhua”. Em outras palavras, ajudar as empresas afetadas pela demanda fraca interna devido à crise do novo coronavírus.

     Em um relatório enviado aos seus assinantes, a consultoria britânica Capital Economics considera que os dados eram esperados e que o banco central não tem interesse em relaxar muito mais sua política monetário em um futuro próximo.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA