Efeitos da pandemia são piores em países emergentes – Ata do Copom

682
Banco Central do Brasil, fachada externa. Brasília, 02-03-2017. Foto Sérgio Lima/Poder 360.

     Porto Alegre, 23 de junho de 2020 – O Comitê de Política Monetária (Copom) ponderou, na ata da reunião da semana passada, que a reação dos governos e bancos centrais das principais economias mundiais tem apresentado coordenação e dimensão inéditas, mitigando parcialmente os impactos econômicos causados pela pandemia de coronavírus. Porém, o Comitê ressalta que os efeitos sanitários e econômicos dessa crise tornaram-se desproporcionalmente maiores em países emergentes.

     “Sendo assim, embora tenha havido alguma moderação na volatilidade dos preços dos ativos, o ambiente internacional segue sendo desafiador para a economia brasileira”, afirma o Copom. Para os membros do Comitê, os dados relativos ao segundo trimestre corroboram a perspectiva de forte contração do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no período e sugerem que a atividade atingiu seu menor patamar em abril, havendo recuperação apenas parcial em maio e junho. As informações são da Agência CMA.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA