Milho mantém ritmo lento nos negócios à espera da safrinha

326

    Porto Alegre, 23 de junho de 2020 – O mercado brasileiro de milho manteve um ritmo lento na comercialização nesta terça-feira. Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, o mercado está aguardando a evolução da colheita da safrinha. As cotações ficaram de estáveis a moderadamente mais baixas. A queda do dólar trouxe pressão às cotações nos portos e também pressiona o mercado doméstico.

     No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 48,00 e R$ 50,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço entre R$ 48,00 e R$ 50,00 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 43,00/44,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 45,50/46,50 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 47,50/48,50 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 48,50/50,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 42,00/44,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 38,50 – R$ 40,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 35,00/36,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

     A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços mais baixos. O mercado foi pressionado pela melhora nas condições das lavouras norte-americanas. Também há incertezas após as declarações do assessor de Comércio da Casa Branca, Peter Navarro, de que o acordo comercial com a China tinha acabado, mesmo após ter sido desmentido por Donald Trump em sua conta no Twitter. “O acordo comercial da China está totalmente intacto. Espero que eles continuem a cumprir os termos do acordo!”, disse o presidente dos Estados Unidos.

     O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA, até 21 de junho, 72% estavam entre boas e excelentes condições, 23% em situação regular e 5% em condições entre ruins e muito ruins. O mercado esperava 70% das lavouras entre boas e excelentes. Na semana anterior, os números eram de 71%, 24% e 5%, respectivamente.

     Os contratos de milho com entrega em julho fecharam a US$ 3,25, com baixa de 3,25 centavos, ou 0,99%, em relação ao fechamento anterior. A posição setembro fechou a sessão a US$ 3,29 por bushel, recuo de 4,00 centavos de dólar, ou 1,2%, em relação ao fechamento anterior.

Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com baixa de 2,20%, sendo negociado a R$ 5,1520 para venda e a R$ 5,1500 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,1360 e a máxima de R$ 5,2270.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA