Moagem de cana da Copersucar cresce 7,3% em 2019/20, totalizando 87,7 mi t

554

     Porto Alegre, 23 de junho de 2020 – O modelo de negócios da Copersucar S/A avançou na safra 2019/2020 e apresentou maior consistência em qualidade e resultados, tanto nas operações diretas, como de subsidiárias e joint ventures, tendo registrado lucro líquido de R$ 119 milhões.

    Em nota, a companhia afirmou que “rompeu pela primeira vez a marca de R$ 30 bilhões de faturamento, crescimento de 5,1% em relação ao período anterior “o que confirma seu posicionamento destacado nos mercados mundiais de açúcar e etanol”.

    Desde a safra 2009-2010, quando registrou R$ 3,8 bilhões, o faturamento da companhia se multiplicou por sete.

     O resultado foi acompanhado pelo reforço da já robusta estrutura de liquidez, com incremento de 42% na posição caixa (de R$ 1,9 bilhão em março/19 para R$ 2,7 bilhões em março/20), além da manutenção da política de alongamento do perfil da dívida, com vencimentos de longo prazo permanecendo em patamares superiores a 80%.

    “Nos últimos anos, a Copersucar S.A, líder global na comercialização de açúcar e etanol, vem estruturando e aprimorando seu modelo de gestão através da constituição de uma plataforma de negócios integrada e global de açúcar, etanol e logística, combinada a um eficiente sistema de parcerias. Essa estratégia foi mais uma vez exitosa na última safra, proporcionando crescimento sustentável e positivo em todas as unidades de negócio”, explica Luís Roberto Pogetti, presidente do Conselho de Administração da companhia.

     O período em referência também foi de fortalecimento e amadurecimento da gestão da companhia, com uma transição estratégica no quadro diretivo concluída com sucesso neste ciclo. No final de 2018, João Roberto Teixeira assumiu a posição de presidente executivo da Copersucar S/A.

     Analisando o ambiente de negócios em sua primeira safra completa, João Teixeira afirma que “em um cenário bastante alcooleiro e de alta volatilidade, a Copersucar se mostrou resiliente tanto nas suas operações diretas quanto no desempenho de suas investidas”. Ele ainda observa que a companhia “apresentou crescimento de qualidade e produtividade em todos os seus negócios, evidenciado mais uma vez a sua extraordinária flexibilidade e visão de oportunidades e indicando avanços de eficiência operacional”.

     Desconsiderando os fatores extraordinários e não operacionais, o lucro líquido da operação atingiu a marca de R$ 136 milhões ao longo da safra, 31% a mais que a operação no ciclo anterior, reafirmando a consistência dos resultados da Companhia nos últimos anos.

Investimentos

    Na última década, a Copersucar S/A investiu mais de R$ 3 bilhões (a valor presente), sendo R$ 124 milhões nesta safra, com o objetivo de expandir sua presença no mercado global, ampliando a oferta de açúcar e de etanol, fortalecendo a estrutura logística e internacionalizando as operações, por meio de participações acionárias e de um eficiente sistema de parcerias.

Comercialização

    De 1º de abril de 2019 a 31 de março de 2020, as usinas sócias da Copersucar S/A moeram 87,7 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, uma evolução de 7,3% em relação à safra anterior, resultado bem acima da produção de toda a região Centro-Sul do Brasil, que cresceu em ritmo menor (+2,9%).

    Com uma safra mais alcooleira, motivada pela extrema competividade do produto em relação à gasolina e pelo aumento da preferência do consumidor brasileiro pelo combustível, a companhia atingiu pela primeira vez o volume de vendas de 5 bilhões de litros de etanol de origem brasileira na safra 2019-2020, totalizando 14,2 bilhões de litros no mercado global (+2,3%), na combinação com as vendas de etanol de origem americana.

     Em função do mix de produção com mais peso para o etanol, a comercialização total de açúcar caiu 3% frente ao ciclo anterior, com um volume de 3,7 milhões de toneladas, sendo 1,8 milhão de toneladas no mercado interno (+5,9%) e 1,9 milhão de toneladas para outros países (-9,5%). Destaque para Alvean Sugar SL, parceria entre a Copersucar e a Cargill, que comercializou volumes superiores a 10 milhões de toneladas de açúcar, atingindo 32% de participação nas exportações brasileiras do produto e se consolidando como líder absoluta no mercado mundial.

Logística

     A plataforma logística da Copersucar, importante para os resultados estruturais da companhia, movimentou cerca de 50% do seu volume contratado no açúcar para terceiros (usinas não sócias). O Terminal Açucareiro Copersucar (TAC) em Santos demonstrou ainda flexibilidade operacional, ampliando a elevação de grãos, em um período com menos açúcar exportado.

    Destaque também para a utilização do transporte ferroviário na safra, que teve crescimento superior a dois pontos percentuais, atingindo a participação de 68,2% do volume movimentado, gerando ganho em eficiência e reduzindo custos.

Sustentabilidade

    Um ponto importante da safra 2019-2020 é a concretização do RenovaBio, um programa relevante para que o Brasil cumpra os compromissos assumidos no Acordo de Paris e que coloca o etanol como uma solução pronta para contribuir para o desenvolvimento sustentável.

     Já certificadas em sua maioria, as usinas associadas à Copersucar, que representam cerca de 15% da moagem de cana-de-açúcar da região Centro-Sul do Brasil, estão habilitadas para negociar os CBios escriturados no mercado financeiro a partir da safra 2020-2021.

Estrutura

    No início deste ano, a Copersucar realizou a mudança de sua sede em São Paulo, com o objetivo de modernizar o ambiente de trabalho, aumentar a produtividade e gerar melhor qualidade de vida aos colaboradores, além de reduzir custos.

     No plano da inovação, a Copersucar investe em tecnologia com o objetivo de gerar processos mais ágeis, flexíveis e simples, importantes aliados para o desenvolvimento da produtividade e para ganhos em eficiência.

     Na safra 2019-2020, a companhia também desenvolveu projetos de inovação ligados às operações dos terminais, aumentando a consistência do nível de automação e eficiência dos procedimentos, o que permitiu, por exemplo, alcançar melhorias significativas nos processos de vistoria dos vagões e de amostragem de descarregamento.

Covid-19

    A pandemia do novo coronavírus trouxe um cenário desafiador. A Copersucar, responsável pela comercialização de produtos essenciais para a sociedade, na alimentação e como elo da cadeia de combustíveis renováveis, manteve as suas operações em pleno funcionamento, suportadas pelas melhores práticas e cuidados com a saúde e segurança dos seus colaboradores e terceiros.

     De acordo com Joao Roberto Teixeira, havia pela frente um cenário favorável e ótimas perspectivas para a safra 2020-2021, até a chegada da pandemia da Covid-19. “Apesar da nova situação não ter impactado significativamente o resultado da safra 2019/2020, ela criou desafios. Com o reforço de nossa estrutura de liquidez daremos maior proteção e estabilidade às usinas associadas, um importante diferencial competitivo. O fortalecimento e a flexibilidade da companhia do ponto de vista operacional, com entrega de resultados consistentes, associados ao engajamento da nossa equipe e à boa estratégia de gestão financeira, evidenciam que a Copersucar deve passar bem por este momento de instabilidade, tornando-se ainda mais forte e representativa ao término deste período desafiador”.

     As informações partem da assessoria de imprensa da Copersucar.

Revisão: Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA