Ingresso de safra e fraqueza da demanda pressionam preços do algodão no Brasil

312

     Porto Alegre, 26 de junho de 2020 – Na contramão da valorização verificada na Bolsa de Nova York e no mercado cambial nesta quinta-feira (25), os preços do algodão no mercado doméstico encerraram o dia em queda. Na média do CIF das indústrias paulistas, a pluma fechou indicada a R$ 2,71 por libra-peso, com retração de 0,57% em relação ao dia anterior. Quando comparado ao mesmo período do mês passado, ainda acumulava alta de 2,67%. E, ante a igual momento do ano anterior, havia queda de 1,29%.

     Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, este movimento repercute a expectativa de aumento de oferta, com o avanço da colheita da maior safra da história, e a fraqueza da demanda interna, diante do agravamento da pandemia do novo coronavírus em importantes polos de indústrias têxteis no país. Além disso, os compradores internacionais têm se mostrado pouco presentes nas últimas semanas.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, a indicação fechou a quinta-feira em 51,11 centavos de dólar por libra-peso (c/lb), com alta de 2,4% em relação ao mesmo período do mês passado. Em relação ao contrato spot da pluma negociado na Bolsa de Nova York, o produto brasileiro está 17,3% mais acessível. Há um mês, era 13,2% mais acessível.

     No cenário internacional, destaque para a colheita de algodão na Argentina na temporada 2019/2020, que está estimada em 95% até o dia 25 de junho, informou o Ministério da Agroindústria do país. Em igual período do ano passado, a colheita estava em 72%. Na semana anterior, o percentual era de 92%. A área para 2019/20 está projetada em 460 mil hectares, ante 440 mil hectares na temporada anterior.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA