Preços do frango devem permanecer em alta no Brasil

498


     Porto Alegre, 26 de junho de 2020 – O mercado do frango vivo apresentou preços firmes na semana. O ambiente de negócios ainda sugere reajustes no curto prazo, em linha com a movimentação evidenciada no início da semana.

     Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a reposição flui de maneira satisfatória, com expectativa de avanços durante a primeira quinzena de julho. Em relação aos custos de nutrição animal, a tendência é por recuo à medida que avança a colheita do milho safrinha.

     O atacado voltou a se deparar com preços firmes. A tendência de curto prazo ainda remete a reajustes, avaliando a melhor reposição entre atacado e varejo ao longo da primeira quinzena de julho, período que conta com maior apelo ao consumo. “As exportações apresentaram um fluxo mais lento de embarques no decorrer de junho”, destaca o analista.

     As exportações de carne de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas do Brasil renderam US$ 283,933 milhões em junho (14 dias úteis), com média diária de US$ 20,281 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 224,504 mil toneladas, com média diária de 16,036 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.264,70.

     Na comparação com junho de 2019, houve queda de 35,96% no valor médio diário, baixa de 17,59% na quantidade média diária e retração de 22,28% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA