IPP tem alta de 1,22% em maio, aponta IBGE

355


     Porto Alegre, 1 de julho de 2020 – Em maio de 2020, os preços da indústria subiram 1,22% em relação a abril/2020. O acumulado no ano atingiu 3,37%. Na comparação com maio de 2019, a variação de preços foi de 4,60%. Em maio, 16 das 24 atividades apresentaram variações positivas de preços, contra 20 do mês anterior.

     As quatro maiores variações foram nas seguintes atividades industriais: indústrias extrativas (9,13%), refino de petróleo e produtos de álcool (-5,78%), outros equipamentos de transporte (4,57%) e têxtil (4,36%). As maiores influências foram: alimentos (0,60 p.p.), refino de petróleo e produtos de álcool (-0,41 p.p.), indústrias extrativas (0,39 p.p.) e veículos automotores (0,15 p.p.).

     O acumulado no ano atingiu 3,37%, ante 2,13% em abril/2020. As atividades de maior variação foram: refino de petróleo e produtos de álcool (-36,27%), outros equipamentos de transporte (23,01%), madeira (18,86%) e metalurgia (18,25%). No acumulado do ano, os setores de maior influência foram: refino de petróleo e produtos de álcool (-3,86 p.p.), alimentos (2,12 p.p.), metalurgia (1,06 p.p.) e outros produtos químicos (0,71 p.p.)

     No acumulado em 12 meses, a variação de preços foi de 4,60%, contra 4,79% em abril/2020. As quatro maiores variações foram em refino de petróleo e produtos de álcool (-36,02%), outros equipamentos de transporte (27,14%), madeira (17,85%) e alimentos (17,59%). Os setores de maior influência foram: alimentos (3,88 p.p.), refino de petróleo e produtos de álcool (-3,87 p.p.), metalurgia (0,90 p.p.) e veículos automotores (0,60 p.p.).

     A variação de preços de 1,22% em relação a abril repercutiu da seguinte maneira entre as grandes categorias econômicas: 3,08% em bens de capital; 1,00% em bens intermediários; e 1,14% em bens de consumo, sendo que 1,58% foi a variação observada em bens de consumo duráveis e 1,04% em bens de consumo semiduráveis e não duráveis.

Copyright 2020 – Grupo CMA