Açúcar cai em NY com petróleo e dados de produção do Brasil

198

     Porto Alegre, 09 de julho de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações mais baixas.

     O mercado acompanhou as perdas dos futuros de petróleo em meio a preocupações com o aumento dos casos de coronavírus nos Estados Unidos e os efeitos disso sobre a demanda de combustíveis. Ao mesmo tempo, o crescimento da produção e da exportação de açúcar na principal região canavieira do Brasil ajudou a pressionar os contratos.

    As vendas de açúcar pelas usinas do Centro-Sul mantiveram o ritmo observado das últimas quinzenas e seguiram aquecidas no mês de junho. A quantidade exportada pelas unidades somou 2,59 milhões de toneladas, com alta de 70,13%, conforme dados da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA).

    No acumulado desde o início da safra 2020/2021 até 1 de julho, o crescimento atinge 67,22%, com a exportação de 6,44 milhões de toneladas nesse ano, ante 3,85 milhões no mesmo período de 2019. Já a produção cresceu 49% no mesmo período, passando de 8,94 milhões de toneladas para 13,3 milhões de toneladas. O mix açucareiro cresceu 34,66% em 2019/20 para 46,42% em 2020/21.  

     Os contratos com entrega em outubro/2020 encerraram o dia a 11,84 centavos de dólar por libra-peso, queda de 0,24 centavo (-1,98%) em relação ao fechamento anterior. A mínima do dia foi de 11,82 centavos, e a máxima chegou a 12,15 centavos.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA