Apesar de redução da demanda, preço do arroz segue firme no Brasil

196

     Porto Alegre, 10 de julho de 2020 – O mercado brasileiro de arroz encerrou a segunda semana de julho com preços mais altos. Na média do Rio Grande do Sul, estado referência para o Brasil, a indicação de preço ficou em R$ 63,32 por saca de 50 quilos no dia 9 de julho, ante R$ 62,72 no dia 2. Em 30 dias, a alta acumulada era de 2,51%. Frente ao mesmo período do ano anterior, a diferença era 46,60% positiva.

     Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Gabriel Viana, as cotações do cereal seguem firmes, apesar de redução na demanda a partir do final de maio. “Rodamos muito arroz no mercado interno e para exportação neste primeiro semestre pelas preocupações com o novo coronavírus e a segurança alimentar”, lembra.

     Agora, o varejo já está bem abastecido e as compras voltaram ao ritmo normal, de antes da pandemia. “Mas o viés permanece de preços firmes”, adverte o analista. “O dólar alto não facilita a importação nesta temporada e estamos exportando bem”, completa.

     O décimo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra brasileira 2019/20 de arroz indica produção de 11,168 milhões de toneladas, o que representa um acréscimo de 6,5% sobre as 10,483 milhões de toneladas de 2018/19. No nono levantamento, eram esperadas 11,126 milhões de toneladas.

     A área plantada com arroz na temporada 2019/20 foi estimada em 1,665 milhão de hectares, ante 1,702 milhão semeados na safra 2018/19. A produtividade das lavouras foi estimada em 6.706 quilos por hectare, superior em 8,9% aos 6.158 quilos por hectare na temporada passada.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA