Laboratório do Instituto Biológico da APTA (SP) inicia diagnóstico para Covid-19

363

     Porto Alegre, 13 de julho de 2020 – O Laboratório de Viroses de Bovídeos do Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, iniciou o diagnóstico da Covid-19. O Laboratório foi habilitado pelo Instituto Adolfo Lutz para colaborar no atendimento da pandemia pelo teste molecular (RT-qPCR) e tem capacidade para realizar dez mil análises por mês.

     A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e a Secretaria da Segurança Pública assinaram Termo de Cooperação para a realização dos diagnósticos nos agentes de segurança pública. O objetivo é minimizar os efeitos da infecção e viabilizar o isolamento dos profissionais para evitar a transmissão da doença.

     “Este é um momento em que precisamos trabalhar unidos e todos devem fazer sua parte e auxiliar no que for possível. Com isso em mente, nos mobilizamos para habilitar o laboratório da Pasta para realizar testes e ajudar no diagnóstico em São Paulo”, destaca o Secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira.

     A Polícia Militar contribuiu na manutenção das portas do Laboratório de Biossegurança Nível 3 (NB3) do IB para que os voluntários possam processar as amostras em segurança e evitar escape viral nas dependências do laboratório. O IB recebeu os insumos diagnósticos do Instituto Butantan, parte dos equipamentos de proteção individual (EPI) da empresa Boehringer Ingelheim Saúde Animal e microtubos e estantes da Innova Agrotecnologia. Outros laboratórios do próprio Instituto contribuíram com estantes, usadas para acondicionar e organizar os tubos das amostras dos pacientes.

     “O termo de cooperação entre a Polícia Militar do Estado de São Paulo e o IB, por meio de parceria entre a Secretaria de Segurança Pública e a Secretaria de Agricultura, é de fundamental importância para a saúde dos nossos policiais militares, no sentido de disponibilizarmos o exame de RT-qPCR, que é considerado de padrão ouro, para o diagnóstico da Covid-19, onde são detectados o material genético do coronavírus. A partir desta parceria, manteremos o atendimento dos nossos policiais. A importância desse teste vai além do diagnóstico de Covid-19. Ele permite isolar o paciente e realizar a rastreabilidade de seus contactantes para monitoramento e controle da doença”, afirma Luciano Bottura, capitão médico da PM.

     Para o coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Antonio Batista Filho, a participação do Instituto Biológico na realização dos diagnósticos da Covid-19 só foi possível graças aos investimentos contínuos na modernização da infraestrutura dos Institutos de Pesquisa do Estado de São Paulo. “Nossas instituições possuem equipamentos de ponta e profissionais altamente capacitados que podem contribuir neste momento”, afirma.

Estruturas

     O Laboratório de Viroses de Bovídeos (LVB) do IB possui instalação de Biossegurança Nível 3 (NB3), estrutura que permite processar as amostras em ambiente biosseguro e evitar riscos de escape viral. Para atender o diagnóstico da Covid-19, as amostras são inativadas no laboratório NB3 e submetidas à RT-qPCR para Sars-CoV-2 no laboratório de Diagnóstico Molecular do LVB.

     “Uma força tarefa foi montada no Instituto Biológico para que pesquisadores do próprio Instituto, além de profissionais da Coordenadoria de Defesa Agropecuária fossem capacitados e treinados para a realização dos diagnósticos. Ao todo, dez profissionais estão atuando nessa atividade, realizando, principalmente, a recepção das amostras”, explica Liria Hiromi Okuda, pesquisadora do IB e responsável pelo NB3.

     Inaugurado em 2016, o espaço recebeu investimentos de R$ 2 milhões do Governo de São Paulo. A unidade cumpre os requisitos de Segurança Biológica Nível 3, estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e é o único do Estado e um dos poucos do País da área animal a ter este nível de segurança.

     O local possui acreditação pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) com base na norma internacional ISO 17025, e é credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para diagnóstico de doenças virais que impactam o setor de produção agropecuário.

     Fundamental para o apoio e a execução dos programas sanitários brasileiros, o laboratório do IB contribui para as certificações sanitárias de comércio nacional e internacional. A instalação estratégica permite a manipulação segura de materiais biológicos de origem animal e evita escape de microrganismos que poderiam colocar em risco a comunidade.

     “Dessa forma podemos contribuir de forma segura no atendimento da pandemia”, explica Liria, médica-veterinária, com mestrado e doutorado na área de epidemiologia experimental aplicada às zoonoses, pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP). Pesquisadora do IB desde 1997, realizou treinamento para diagnóstico da doença língua azul no Istituto Zooprofilático Dell’Abruzzo e del Molise “G. Caporale”, na Itália, e foi bolsista da Japan International Cooperation Agency, no Japão. As informações partem da assessoria de imprensa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Governo de São Paulo.

     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA