Concentrados na colheita, produtores de algodão reduzem negócios

451

     Porto Alegre, 17 de julho de 2020 – O mercado brasileiro segue com reduzido volume de negócios ao final da terceira semana de julho. Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, os produtores estão concentrados nos trabalhos de colheita e fechando negócios de safras futuras. “O destaque fica por conta dos registros de negócios da safra 2020/21, o que mostra que os cotonicultores têm aproveitado os momentos de firmeza de Nova York e o câmbio acima de R$ 5,00 para formar uma média de preços atrativa para a próxima temporada”, explica.

     No disponível, a indicação de preços no CIF de São Paulo fechou em R$ 2,73 por libra-peso no dia 16 de julho, ante R$ 2,72 no dia 9. Quando comparado ao mesmo período do mês passado, apresentava alta 0,48%. Em relação aos níveis em que era negociado em igual momento do ano anterior, a elevação era de 3,02%.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, a indicação ficou em 51,32 centavos de dólar por libra-peso (c/lb), com queda 3,8% em relação ao mesmo período do mês passado. Na comparação com contrato de maior liquidez da pluma negociado na Bolsa de Nova York (dez/20), o produto brasileiro está 17,9% mais acessível. Há um mês, era 10,7% mais acessível.

     “Com os compradores concentrando as negociações nos Estados Unidos, esse prêmio negativo para o produto brasileiro é justificável”, explica o analista. “Contudo, o aumento das tensões diplomáticas entre os Estados Unidos e a China pode fazer com que os compradores chineses voltem a atracar nos portos brasileiros nos próximos meses, quando a disponibilidade da pluma for maior”, aposta.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA