Mercado de soja inicia semana com preços elevados e poucos negócios

265

    Porto Alegre, 20 de julho de 2020 – O mercado brasileiro de soja inicia a semana diante de um cenário semelhante ao que predominou nos últimos dias. Chicago sobe e o dólar recua. A falta de oferta mantém os preços sustentados, mas com negócios restritos.

     O mercado voltou a ter um dia de ganhos nos preços internos. Com dólar subindo e os contratos futuros se aproximando de US$ 9,00 por bushel em Chicago, a saca bateu na casa de R$ 120,00 no Porto de Rio Grande.

     Mas o volume de negócios segue escasso e apenas operações pontuais foram registradas. Com pouca oferta, o vendedor sai das negociações, apostando em patamares ainda melhores.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 116,50 para R$ 117,50. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 116,00 para R$ 117,00. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 119,00 para R$ 120,00.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço aumentou de R$ 108,00 para R$ 110,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 116,00 para R$ 117,00.

     Em Rondonópolis (MT), a saca avançou de R$ 110,00 para R$ 111,50. Em Dourados (MS), a cotação seguiu em R$ 109,00. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 108,00 para R$ 109,00.

INTENÇÃO DE PLANTIO

* Os produtores brasileiros de soja deverão cultivar 37,804 milhões de hectares em 2020/21, a maior área da história, crescendo 1,8% sobre o total semeado no ano passado, de 37,152 milhões. A projeção faz parte do

levantamento de intenção de plantio de SAFRAS & Mercado.

* Com uma possível elevação de produtividade, de 3.379 quilos para 3.501 quilos por hectare, a produção nacional deve ficar acima da obtida nesta temporada. A previsão inicial é de uma safra de 131,691 milhões de toneladas, 5,4% maior que o recorde de 124,913 milhões obtido neste ano.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em novembro registram valorização de 0,39%, cotado a US$ 8,98 1/4 por bushel.

* O mercado atinge o maior patamar em 10 de julho, enfileirando cinco sessões seguidas de alta.

* Apesar das condições favoráveis às lavouras americanas e da ampla oferta mundial, sinais de demanda aquecida por parte da China asseguram a elevação.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para agosto ficou em125 a 137 pontos acima de Chicago.

 Para setembro, o valor é de 130 a 145 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra baixa de 0,24% a R$ 5,371.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, +3,11%. Tóquio,

+0,09%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,02%; Frankfurt, +0,5% Londres, -0,5%.

* O petróleo opera com perdas. Agosto do WTI em NY: US$ 40,31 o barril

(-0,68%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,13%, a 95,83 pontos.

AGENDA

– Inspeções de exportação semanal dos EUA – USDA, 12hs.

– Balança comercial das três primeiras semanas de julho – Ministério da Economia, 15hs.

– Condições das lavouras norte-americanas – USDA, 17hs.

—-Terça-feira (21/07)

– Não há indicadores previstos.

—–Quarta-feira (22/07)

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

—–Quinta-feira (23/07)

– Japão: O mercado de ações do país permanece fechado em razão de um

feriado.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Estimativa para a produção global de grãos em 2020/21 – CIG, na parte da manhã.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Relatório mensal sobre as lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, na parte da tarde.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (24/07)

– Japão: O mercado de ações do país permanece fechado em razão de um feriado. 

– O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor – 15 (IPCA 15) referentes a julho.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA