Chicago cai significativamente sem sinais demanda chinesa pelo milho dos EUA

213

Porto Alegre, 21 de julho de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços significativamente mais baixos. Apesar do anúncio de novas vendas para o cereal norte-americano, o mercado foi pressionado pela ausência de vendas à China, bem como pelo indicativo de condições para as lavouras norte-americanas de milho melhores que o esperado, aumentando o ímpeto vendedor.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA, até 19 de julho, 69% estavam entre boas e excelentes condições – o mercado esperava 68% -, 23% em situação regular e 8% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os números eram de 69%, 23% e 8%, respectivamente.

Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 207.880 toneladas de milho para destinos não revelados. Do total, 25.400 toneladas têm entrega para 2019/20 e 182.480 toneladas para 2020/21.

Os contratos de milho com entrega em setembro fecharam a US$ 3,22 3/4, com baixa de 5,50 centavos, ou 1,67%, em relação ao fechamento anterior. A posição dezembro fechou a sessão a US$ 3,30 3/4 por bushel, recuo de 5,00 centavos de dólar, ou 1,48%, em relação ao fechamento anterior.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA