MS espera colher safrinha de milho de 8,195 milhões de t – Aprosoja

459

     Porto Alegre, 21 de julho de 2020 – Finalizados os trabalhos de mapeamento realizado pela equipes técnicas do Projeto SIGA/MS em conjunto com o mapeamento espacial, a Aprosoja/MS consolidou a área de milho 2a safra de Mato Grosso do Sul na safra 2019/2020 em 1,895 milhão de hectares, uma redução de 12,79% da área em relação ao espaço destinado ao cereal na segunda safra de 2018/2019 que foi de 2,179 milhão de hectares.

     Os números foram atualizados após a equipe da entidade, por meio do Projeto Siga/MS, realizado pela Aprosoja/MS e Famasul com apoio do FUNDEMS e SEMAGRO, observar que o montante plantado foi menor do que o inicialmente previsto. Os dados foram apurados a partir do trabalho de 15 profissionais, na primeira quinzena de maio de 2020, que percorreram 19.863 quilômetros e coletaram 12.633 pontos de GPS em propriedades rurais que se dedicam ao cultivo do milho e que foram validados pelas imagens de satélite confirmou a previsão de uma uma área menor de milho em Mato Grosso do Sul.

     “A confirmação da redução de área destinada ao milho de 2a safra consolidou tendências verificadas desde o início da safra de milho com a redução da janela ideal para semeadura da cultura, em função do atraso do plantio da soja na safra anterior e o risco climático indicado em janeiro de 2020 pela Embrapa, levando produtores a optar pelo plantio de outras culturas de inverno, especialmente milheto, sorgo, feijão, pasto, trigo e aveia”, sinaliza o presidente da Aprosoja/MS, André Dobashi.

     A produtividade do estado ainda foi mantida em 72 sacas por hectare diante do cenário de uma colheita bastante espaçada que deve ser observado nesta safra, sendo que com isso a produção ainda se mantém prevista em de 8,195 milhões de toneladas.

     Dobashi acrescenta que a produtividade ainda irá ser reavaliada diante da necessidade de acompanhamento da colheita, que ainda está em fase inicial. “Com somente 2,1% colhidos, o equivalente a 40.359 hectares, ainda é muito cedo para indicar a produção estadual, uma vez que se tem observado lavouras com milho em vários estágios e com muita disparidade de quantidade de grãos, o que será um desafio nesta safra.” As informações partem da assessoria de imprensa da Famasul.

     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA