NY reage e deve sustentar preços internos do café em dia lento

224

    Porto Alegre, 21 de julho de 2020 – O mercado brasileiro de café deverá seguir com poucos negócios e preços perto da estabilidade nesta terça. Nova York esboça recuperação, mas o dólar registra forte baixa frente ao real, o que deverá afastar os negociadores.

     O mercado apresentou preços mais baixos nesta segunda-feira. As cotações recuaram pressionadas pela desvalorização do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) e pela baixa também do dólar. Houve movimentação no mercado nacional antes das perdas acentuadas em NY. Entretanto, com a queda na bolsa forte o mercado nacional travou na comercialização.

     No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 490,00/500,00 a saca, contra R$ 500,00/505,00 de sexta-feira. No cerrado mineiro, preço de R$ 495,00/500,00, contra R$ 505,00/510,00 anteriormente.

     Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 375,00/380,00 a saca, estável. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 350,00/355,00 a saca, contra R$ 355,00/360,00 do dia anterior.

EXPORTAÇÕES

* As exportações brasileiras de café em grão em julho chegaram a 1.742.227 sacas de 60 quilos no acumulado do mês até o dia 19, com 13 dias úteis computados (média diária de 134.017 sacas), com receita chegando a US$ 203,929 milhões (média diária de US$ 15,687 milhões), e preço médio de US$ 117,05 por saca.

* A receita média diária obtida com as exportações de café em grão em julho é 6,72% maior no comparativo com a média diária de julho de 2019, que fora de US$ 14,700 milhões. Já o volume médio diário embarcado é 5,69% maior que o de julho de 2019, que tinha o registro de 126.800 sacas diárias de média. As informações partem da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

NOVA YORK

* Os contratos com entrega em setembro registram valorização de 1,05% na Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE), cotados a 100,85 centavos de dólar por libra-peso.

* A posição setembro fechou nesta segunda-feira a 99,75 centavos de dólar por libra-peso, com queda de 2,55 centavos, ou de 2,5%.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra baixa de 1,46% a R$ 5,265.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em alta. Xangai, +0,20%. Tóquio, +0,73%.

* As principais bolsas na Europa operam firmes. Paris, +1,17%; Frankfurt, +1,73%; Londres, +0,48%.

* O petróleo opera com ganhos. Agosto do WTI em NY: US$ 41,88 o barril (+2,62%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,15%, a 95,68 pontos.

AGENDA

—–Quarta-feira (22/07)

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

—–Quinta-feira (23/07)

– Japão: O mercado de ações do país permanece fechado em razão de um feriado.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Estimativa para a produção global de grãos em 2020/21 – CIG, na parte da manhã.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Relatório mensal sobre as lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, na parte da tarde.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (24/07)

– Japão: O mercado de ações do país permanece fechado em razão de um feriado. 

– O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor – 15 (IPCA 15) referentes a julho.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA