Segunda onda de casos de covid-19 pode agravar cenário econômico, diz Lagarde

340

     Porto Alegre, 22 de julho de 2020 – Uma segunda onda de casos do novo coronavírus pode agravar o cenário econômico na zona do euro, disse a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde. Ela também descartou a chamada economia em “w”.

     Segundo Lagarde, em entrevista por videoconferência ao “The Washington Post”, a contração da economia da zona do euro em 8,7% este ano é o cenário base, mas o BCE também trabalha com o cenário um pouco melhor, de queda de 5%, e um mais severo, de queda de 12%.

     “O que pode agravar é uma segunda onda massiva”, de casos do novo coronavírus, em termos econômicos, além de qualquer evento catastrófico geopolítico, disse. Lagarde disse ainda que não vê uma economia em “W”, que volte a piorar antes de se recuperar.

     Ela afirmou que em dois trimestres a eurozona terá perdido tanta produção quanto ganhou nos últimos 15 anos, o que mostra “a violência do choque econômico” provocado pela pandemia. “Este choque foi tão brutal e não acabou”, disse.

     Ao ser questionada sobre os aprendizados da crise provocada pela pandeia, ela disse que o maior deles é que “estamos nisso juntos. Claramente tomar medidas em um país não é suficiente. Medidas precisam ser tomadas juntas”. Além disso, países liderados por mulheres tiveram resultados melhores no combate à pandemia.

     “O multilateralismo não está morto”, disse. “Estamos integrados e dependemos uns dos outros face aos desafios globais. Eles voltarão a nos assombrar se não lidarmos com eles”.

     Por fim, ela disse esperar que a economia seja mais verde e mais digital após a pandemia, e reafirmou que combater as mudanças climáticas é tão importante quando cumprir o mandato do BCE de alcançar a taxa de inflação perto de 2%.

     “Não temos dois mandatos. Nosso mandato é estabilidade de preços. Isso pode ser afetado pelas mudanças climáticas”, disse, acrescentando que é preciso adotar ações para prevenir essas mudanças. Assim, a agenda verde e o mandato do BCE “estão intrinsecamente relacionados”. As informações são da Agência CMA.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA