Vale reverte prejuízo e registra lucro de US$ 995 mi no segundo trimestre

336

     Porto Alegre, 30 de julho de 2020 – O lucro líquido da Vale somou US$ 995 milhões no segundo trimestre do ano, após prejuízo de US$ 133 milhões um ano antes. A receita líquida da companhia diminuiu 18,2% na mesma base de comparação, para US$ 7,518 bilhões.

     Segundo a mineradora, o resultado do período foi impactado por um ebitda maior no trimestre e a melhoria nos resultados financeiros.

     No trimestre, a empresa realizou um impairment em ativos de níquel de US$ 314 milhões, após o anúncio da exclusividade para negociar a venda da Nova Caledônia para a australiana New Century Resources.

     Além disso, a Vale fez provisões adicionais no valor de US$ 566 milhões para despesas com a Fundação Renova, seguindo a atualização de seu plano de negócios e requisitos de financiamento para cumprir seus compromissos.

     A receita com minerais ferrosos teve queda de 19,4% no segundo trimestre, para R$ 5,895 bilhões. O preço médio realizado do minério de ferro foi de US$ 93,30 por tonelada, queda de 6,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O investimento da Vale cresceu 32,5%, para US$ 967 milhões.

     O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Vale em termos ajustados – que incluem dividendos recebidos de coligadas e excluem ganhos ou perdas na venda de ativos e despesas não recorrentes -, cresceu 8,8% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para US$ 3,371 bilhões.

     O ebitda ajustado proforma, que exclui despesas relacionadas a Brumadinho e ao coronavírus, alcançou US$ 3,586 bilhões no período, queda de 22,5% ante o mesmo período de 2019.

     Ao final do segundo trimestre, a dívida líquida da mineradora era de US$ 4,697 bilhões, queda de 51,7% na base de comparação anual. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por ebtida ajustado, era de 0,3 vez, queda de 66% na mesma base de comparação.

     Em reais, o líquido foi de R$ 5,289 bilhões, revertendo prejuízo R$ 384 milhões na base anual. A receita operacional líquida, por sua vez, alcançou R$ 40,4 bilhões, enquanto o ebitda ajustado totalizou R$ 18,1 bilhões no segundo trimestre de 2020. As informações são da Agência CMA.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA