Plantio do trigo e clima centralizaram atenções do mercado em julho

223

Porto Alegre, 31 de julho de 2020 – Os preços do trigo no mercado brasileiro tiveram pouca volatilidade no mês de julho. O foco dos agentes permaneceu sobre os trabalhos de plantio no Brasil e na Argentina, que ocorreram – salvo algumas situações pontuais – dentro da normalidade. O clima sobra as lavouras de trigo é determinante para o mercado, uma vez que condições desfavoráveis podem comprometer a produtividade das lavouras e, consequentemente, reduzir o quadro de oferta do grão.

A indústria nacional teve pouca necessidade de novas aquisições. Além disso, a oferta doméstica é baixa. Assim, as aquisições pontuais foram, predominantemente, importadas. Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, o dólar sofreu grande retração em relação ao real nas últimas semanas. Isso favorece uma pressão baixista sobre os preços futuros do trigo. Ele ressalta, porém, que estes impactos deverão ser sentidos somente após a entrada da nova safra. “Até lá, o mercado tende a ficar estável, avaliando principalmente o cenário climático, mesmo que atento à volatilidade cambial”, enfatizou.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório mensal, que a safra 2020 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 3,686 milhões de toneladas, 72% acima das 2,141 milhões de toneladas colhidas na temporada 2019.

A área cultivada deve ficar em 1,133 milhão de hectares, contra 1,028 milhão de hectares em 2019, alta de 10%. A produtividade média é estimada em 3.252 quilos por hectare, acima dos 2.205 quilos por hectare registrados na temporada 2019.

Rio Grande do Sul

O plantio de trigo está finalizado no Rio Grande do Sul. A área é estimada em 915.712 hectares. Na semana passada, os trabalhos atingiam 99%. Em igual período do ano passado, o implante cobria 100% da área. A média para os últimos cinco anos é de 99%. Todas as lavouras estão em fase de germinação ou desenvolvimento vegetativo.

Conforme boletim semanal da Emater/RS, o predomínio de tempo firme, temperaturas elevadas e ótima radiação solar durante a semana contribuiu para o bom desenvolvimento das lavouras. Na sexta-feira passada, uma frente fria trouxe chuvas e a queda da temperatura. Na maioria das regiões, produtores aproveitaram as condições favoráveis do clima para realizar os tratos culturais de adubação nitrogenada em cobertura, controle de pragas, doenças, além do controle de plantas invasoras.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA