Açúcar sobe 3% em NY com petróleo e casos de Covid-19 na Índia

186

     Porto Alegre, 06 de agosto de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações acentuadamente mais altas.

     O mercado testou — e superou — as máximas do rally deflagrado no final de julho, encostando em 13 centavos de dólar por libra-peso, puxado por fatores técnicos.

     O barril do petróleo Brent volta a subir, superando a marca de 45 dólares, dando sustentação para o avanço das cotações futuras do açúcar. Com o óleo mais caro, o etanol fica mais atrativo e as usinas brasileiras poderão diminuir a produção de açúcar na segunda metade da safra 2020.

     Fundamentalmente, os preços têm recebido suporte com a preocupação gerada pela disparada de casos de covid-19 na Índia e suas possíveis implicações sobre a colheita da cana e as exportações de açúcar do país asiático.

    As infecções na Índia, segundo maior produtor mundial de açúcar, superam um milhão de casos, o terceiro maior foco no planeta, atrás dos Estados Unidos e do Brasil.

     Os contratos com entrega em outubro/2020 encerraram o dia a 12,94 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 0,40 centavo (+3,2%) em relação ao fechamento anterior. A mínima do dia foi de 12,51 centavos, e a máxima chegou a 12,98 centavos.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA