Café reverte em NY e fecha com perdas acentuadas com realização de lucros

241

     Porto Alegre, 06 de agosto de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta quinta-feira com preços acentuadamente mais baixos.

     Em mais uma sessão volátil, NY chegou a ter ganhos, mas apresentou uma reversão diante de forte movimento de vendas de fundos e especuladores associado à realização de lucros. Após as recentes altas, o mercado ficou sobrecomprado e sujeito a essas atividades corretivas, como a vista na sessão desta quinta-feira.

     O contrato dezembro chegou a ter ganhos de mais de 200 pontos, trabalhando acima de US$ 1,25 a libra-peso. Porém, teve uma brusca reversão e terminou fechando abaixo de US$ 1,20. Nos fundamentos, há ainda a natural pressão com a colheita da safra recorde no Brasil se encaminhando para o final.

     Por outro lado, a Organização Internacional do Café (OIC) revisou suas estimativas e agora espera um déficit na oferta na temporada 2019/20 de 486 mil sacas, enquanto antes esperava superávit de 1,8 milhão de sacas. Essa mudança se deve especialmente à revisão na estimativa do consumo mundial para a temporada. O consumo global de café em 2019/20 é visto pela OIC em 168,492 milhões de sacas, com crescimento anual de 0,3% (167,936 milhões de sacas em 2018/19). Em junho, o consumo estava projetado em 166,058 milhões de sacas.

     O mercado ainda segue em processo de rolagens de contratos de setembro para dezembro, já que se aproxima o período de notificação de entregas da posição setembro.

     Os contratos com entrega em setembro fecharam o dia a 117,00 centavos de dólar por libra-peso, com desvalorização de 4,55 centavos, ou de 3,7%. A posição dezembro fechou a 118,95 centavos, com perda de 4,45 centavos, ou de 3,6%.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA