Demanda e prejuízos às lavouras põem soja no maior nível desde março em Chicago

106


     Porto Alegre, 17 de agosto de 2020 – Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços em forte alta. O mercado atingiu o maior patamar de março, impulsionado por sinais de demanda firme e assimilando os prejuízos causados pela tempestade do início da semana passada sobre a área plantada.

     As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 785.075 toneladas na semana encerrada no dia 13 de agosto, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Analistas esperavam o número em 500 mil toneladas.

     A Associação Norte-Americana dos Processadores de Óleos Vegetais (NOPA) informou que o esmagamento de soja atingiu 172,794 milhões de bushels em julho, ante 167,263 milhões no mês anterior. A expectativa do mercado era de 172 milhões.

     Além disso, cerca de 14 milhões de acres do estado de Iowa teriam sido afetados na última segunda-feira, e não 10 milhões de acres estimados anteriormente, informou a Associação de Soja local no Facebook.

     Os contratos da soja em grão com entrega em setembro fecharam com alta de 15,50 centavos ou 1,72% em relação ao fechamento anterior, a US$ 9,12 1/2 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 9,15 1/4 por bushel, com ganho de 17,25 centavos ou 1,9%.

     Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com alta de US$ 6,60 ou 2,21% a US$ 305,10 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 31,53 centavos de dólar, alta de 0,44 centavo ou 1,41%.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyght 2020 – Grupo CMA