Algodão brasileiro atinge maior cotação desde outubro de 2018

146

     Porto Alegre, 21 de agosto de 2020 – As elevações na Bolsa de Nova York e do dólar frente ao real seguem garantindo competitividade externa e sustentando a firmeza para as cotações domésticas do algodão ao final desta terceira semana de agosto.

     Na média do CIF das indústrias do polo industrial paulista, a fibra fechou a quinta-feira (20) indicada a R$ 3,10 por libra-peso, se elevando 0,65% em relação ao dia anterior e no maior patamar desde meados de outubro 2018. No dia 13, a libra-peso valia R$ 2,95. Quando se compara ao mês e ao ano passado, as altas são de 13,01% e de 28,4%, respectivamente.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, a indicação ficou em 55,55 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 5,3% em relação ao mês passado. Este valor é 13,9% inferior à cotação do contrato de maior liquidez em Nova York (dezembro/20). Há um mês, era 16,1% inferior. Há um ano, 1,9% superior.

     Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, o retorno dos compradores ao mercado, mesmo que sem grande apetite, também contribui para a recente recuperação das cotações no país. “Estima-se que a indústria têxtil nacional tenha encolhido mais de 20% no primeiro semestre”, lembra. “A tendência é que, quando a pandemia do Covid-19 seja controlada, a demanda volte a ganhar força”, aposta.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA