Com maior procura, preço do algodão no Brasil sobe 20% em 30 dias

187

     Porto Alegre, 28 de agosto de 2020 – A maior presença de compradores num mercado ainda com escassez de oferta no disponível e a firmeza do dólar em relação ao real resultaram em alta expressiva das cotações do algodão no Brasil. A afirmação foi feita pelo analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento.

     Na média do CIF de São Paulo, a pluma fechou cotada a R$ 3,34 por libra-peso no dia 27 de agosto. A alta acumulada em relação ao mesmo período do mês de julho chega a 19,9% e, na comparação como mesmo período do ano anterior, a 37,2%.

     “Vale lembrar que o beneficiamento atual é próximo a 20% da safra nacional e tem sido utilizando basicamente para cumprir contratos fechados antecipadamente”, destaca o analista. “Assim, mesmo que a procura ainda seja moderada por parte das indústrias, há uma pressão de alta”, frisa.

     No FOB exportação de Santos/SP, a libra-peso fechou o dia 27 em 59,47 centavos de dólar, valor 9,03% inferior ao contrato de dezembro/20 em Nova York. No dia anterior, estava 11% inferior. Há um mês, era 9,4% inferior. “A tendência é que o produto brasileiro siga estreitando esse spread em relação ao do seu maior concorrente”, pondera Bento.

     As exportações brasileiras de algodão bruto somaram 75,226 mil toneladas até a terceira semana de agosto (15 dias úteis), com média diária de 5,015 mil toneladas. A receita com as vendas ao exterior totalizou US$ 103,526 milhões, com média diária de US$ 6,901 milhões. As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Em relação à igual período do ano anterior, houve avanço de 143,62% no volume diário exportado (2,058 mil toneladas diárias em agosto de 2019). Já a receita diária teve acréscimo de 110,34% (US$ 3,281 milhões diários em agosto de 2019).

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA