Algodão recua em NY com dólar firme contra outras moedas e baixa do petróleo

103

     Porto Alegre, 02 de setembro de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais baixos nesta quarta-feira.

     As cotações recuaram no dia pressionadas pela alta do dólar contra outras moedas. O mercado também teve movimentos técnicos de ajustes. A queda do petróleo contribuiu para a desvalorização da pluma no dia, segundo traders. A expectativa agora está para a divulgação dos dados das exportações semanais norte-americanas, nesta quinta-feira pela manhã.

     A produção de algodão em pluma do Brasil deve atingir 2,634 milhões de toneladas no ano comercial 2020/2021 (agosto de 2020 a julho de 2021), ante 2,923 milhões de toneladas no período anterior. As informações são do Gain Report, do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). A área semeada deve recuar de 1,690 milhão para 1,520 milhão de hectares.

     As exportações deverão somar 1,960 milhão de toneladas na temporada 2020/21, ante 1,946 milhão de toneladas no ano comercial anterior. O consumo doméstico foi previsto em 653 mil toneladas para 2020/21, ante 588 miltoneladas na temporada anterior. 

     Os contratos com entrega em dezembro/2020 fecharam no dia a 64,96 centavos de dólar por libra-peso, queda de 0,44 centavo, ou de 0,7%. Março/2021 fechou a 65,88 centavos, com perda de 0,43 centavo, ou de 0,6%.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA