Inspeções acima do esperado e novas vendas sustentam soja em Chicago

107


     Porto Alegre, 8 de setembro de 2020 – Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira com preços em alta. Após subir no início do dia e realizar lucros na manhã, o mercado se consolidou no território positivo.

     Foi a 11ª sessão consecutiva de alta em Chicago, colocando a posição novembro no maior nível desde 10 de janeiro. Sinais de demanda aquecida pela soja americana asseguraram a sustentação.

     O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou a venda de 664 mil toneladas por parte dos exportadores privados para a China, com entrega em 2020/21. Além disso, os números para as inspeções de embarque dos EUA ficaram bem acima do esperado.

     As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 1.295.462 toneladas na semana encerrada no dia 3 de setembro, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Analistas esperavam o número em 875 mil toneladas.

     Os analistas aguardam ainda para hoje os dados sobre as condições das lavouras americanas e apostam em queda no total de lavouras em boas a excelentes condições, passando de 66% para 64%. No final da semana, a expectativa se volta para o relatório de setembro do USDA e a perspectiva é de corte na estimativa de safra e estoques finais dos Estados Unidos.

     Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com alta de 5,00 centavos ou 0,51% em relação ao fechamento anterior, a US$ 9,73 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 9,78 1/4 por bushel, com ganho de 4,75 centavos ou 0,48%.

     Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 2,60 ou 0,81% a US$ 314,60 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 33,40 centavos de dólar, alta de 0,51 centavo ou 1,55%.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyght 2020 – Grupo CMA