À espera do USDA, mercado interno de soja segue em ritmo lento

44

     Porto Alegre, 11 de setembro de 2020 – O mercado brasileiro de soja deve ter mais um dia de preços regionalizados em patamares firmes e de negócios limitados. A falta de oferta determina esse comportamento. Na espera do USDA, Chicago sobe bem, enquanto o dólar registra perdas. Os prêmios estão inalterados.

     A quinta-feira não reservou surpresas no mercado brasileiro de soja: os preços seguiram regionalizados, em meio a uma movimentação arrastada. Chicago realizou após 12 sessões de alta, o dólar subiu em dia volátil e os prêmios seguiram estabilizados.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos baixou de R$ 140,00 para R$ 139,00. Na região das Missões, a cotação caiu de R$ 139,00 para R$ 138,00. No porto de Rio Grande, o preço recuou de R$ 137,50 para R$ 137,00.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço passou de R$ 130,00 para R$ 132,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 134,50 para R$ 135,00.

     Em Rondonópolis (MT), a saca permaneceu em R$ 134,00. Em Dourados (MS), a cotação estabilizou em R$ 133,00. Em Rio Verde (GO), a saca permaneceu em R$ 130,00.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em novembro registram alta de 0,61%, cotado a US$ 9,83 1/2 por bushel.

* A forte demanda chinesa pela soja norte-americana segue como fator de suporte. No acumulado da semana, os ganhos giram em torno de 1,5%.

* Os agentes também se posicionam frente ao relatório do USDA de setembro, que será divulgado nesta sexta-feira, 11. O Departamento deverá reduzir a sua estimativa para a safra de soja dos Estados Unidos em 2020/21.

* Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em safra de 4,286 bilhões de bushels. Em agosto, o número era de 4,425 bilhões. Na temporada passada, a safra ficou em 3,552 bilhões de bushels.

* Para os estoques de passagem, a aposta é de 461 milhões de bushels para 2020/21. Em agosto, o número ficou em 610 milhões. Para 2019/20, o USDA deverá reduzir sua previsão de 615 milhões para 605 milhões de bushels.

* A previsão para os estoques finais globais em 2020/21 é de 93,2 milhões de toneladas, contra 95,4 milhões projetados no mês passado. Para 2019/20, o USDA deverá reduzir a estimativa de 95,9 milhões para 95,9 milhões de toneladas.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para setembro ficou em165 a 195 pontos acima de Chicago. Para outubro, o prêmio é de 170 a 190 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera com baixa 0,8% a R$ 5,278 neste momento.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em alta. Xangai, +0,79%. Tóquio, +0,74%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,13%; Frankfurt, -0,05%; Londres, +0,33%.

* O petróleo opera com perdas. Outubro do WTI em NY: US$ 37,13 o barril (-0,48%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,16%, a 93,19 pontos.

AGENDA

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Relatório de setembro de oferta e demanda mundial e norte-americana de soja, milho, trigo, algodão e arroz – USDA, 13hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA