Preço doméstico do algodão perde força mesmo com recuperação em NY

61

     Porto Alegre, 11 de setembro de 2020 – Nem mesmo a recuperação expressiva do algodão verificada em Nova York nesta quinta-feira conseguiu estancar o movimento de baixa pelo qual passa o mercado doméstico nesta segunda semana de setembro.

     Na média do CIF de São Paulo, a pluma fechou cotada a R$ 3,12 por libra-peso no dia 10 de setembro, ante R$ 3,29 por libra-peso no dia 3 de setembro. A alta acumulada em relação ao mesmo período do mês de agosto ainda chega a 8,33% e, na comparação como mesmo período do ano anterior, a 28,62%.

     A indicação no FOB exportação de Santos/SP fechou em 58,81 centavos, valor 9,3% inferior ao contrato de dez/20 em Nova York. No dia anterior, estava 5,6% inferior. Há uma semana, era 4,3% mais acessível e, há mês, era 14,3% inferior. “A queda acumulada pela fibra brasileira no porto chega a 10% quando se compara ao mesmo momento do ano passado, o que contribui para reduzir a diferença em relação à norte-americana”, explica o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento.

     “O estreitamento do spread entre as cotações no Brasil e nos Estados Unidos também pode ser percebido pelo Índice CIF Bremen, que compara o preço que o algodão dos principais exportadores globais chega ao porto alemão”, acrescenta o analista. A indicação para o produto brasileiro nesta semana ficou em 73,25 c/lb, valor 3,3% inferior ao norte-americano. Na semana e no mês anterior era 4,2% e 4,1% inferior.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA