Preços da soja devem seguir firmes, devido à escassez de produto

84

     Porto Alegre, 22 de setembro de 2020 – O mercado brasileiro de soja deve seguir com preços firmes, reflexo da falta de produto. Dólar e Chicago operam em leve alta e devem dar sustentação às cotações, que, na maior parte, seguem nominais. Com vendedores e compradores retraídos, a tendência é de mais um dia de poucos negócios.

     Com o dólar encostando em R$ 5,50 durante o dia, os preços da soja ignoraram a realização de lucros de Chicago e dispararam no mercado interno ontem. Houve indicação de saca a R$ 156,00 no interior do Rio Grande do Sul para janeiro.

     Os agentes seguiram retraídos nas duas pontas. Sem oferta, apenas negócios pontuais foram registrados.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 147,00 para R$ 150,00. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 146,50 para R$ 149,00. No porto de Rio Grande, o preço subiu de R$ 142,00 para R$ 144,00.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço aumentou de R$ 142,00 para R$ 144,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca passou de R$ 141,00 para R$ 150,00.

     Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 145,00 para R$ 153,00. Em Dourados (MS), a cotação avançou de R$ 142,00 para R$ 149,00. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 145,00 para R$ 150,00.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em novembro registram alta de 0,22%, cotado a US$ 10,24 por bushel.

* O mercado esboça uma recuperação frente ao tombo de ontem, quando o grão recuou cerca de 2%. Porém, o avanço da colheita norte-americana, com percentual acima do esperado, limita o ímpeto comprador.

* O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução colheita das lavouras de soja. Até 20 de setembro, a área colhida estava apontada em 6%. Em igual período do ano passado, a colheita era de 2%. A média é de 6%. O mercado projetava número de 5%.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para outubro ficou em175 a 200 pontos acima de

Chicago. Para novembro, o prêmio é de 180 a 200 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera com alta de 0,51% a R$ 5,427 neste momento.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam com perdas. Xangai, -1,29%. Tóquio, feriado.

* As principais bolsas na Europa operam em alta. Paris, +0,69%; Frankfurt, +1,08%; Londres, +0,32%.

* O petróleo opera com ganhos. Novembro do WTI em NY: US$ 39,60 o barril (+0,15%).

* O Dollar Index registra alta de 0,03%, a 93,69 pontos.

AGENDA

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

—–Quarta-feira (23/09)

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor – 15 (IPCA 15) referentes a setembro.

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

—–Quinta-feira (24/09)

– Japão: O Banco do Japão (BoJ) divulga às 2h50 a ata de sua decisão de política monetária.

– O Banco Central divulga às 8h o relatório trimestral de inflação

– Atualização da estimativa de safra mundial de grãos – CIG, no início do dia.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (18/09)

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA