Se Brasil não exportar 2 mi de t de algodão, estoques vão crescer – Live SAFRAS

97

     Porto Alegre, 25 setembro de 2020 – O Brasil vai precisar exportar dois milhões de toneladas da safra recém colhida. Se isso não acontecer, os estoques do país vão crescer ainda mais. A afirmação foi feita há pouco pelo analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, durante a Live de SAFRAS desta sexta-feira no Instagram. “A safra 2019/20, mesmo que não tenha sido recorde, ficando em torno de 2,7 milhões de toneladas, mantém a necessidade do Brasil seguir competitivo no mercado internacional.

     Neste contexto, conforme Bento, os preços internos da pluma vão seguir sendo ditados pela paridade de exportação. Por enquanto, o valor posto no porto está 12% inferior ao contrato mais negociado na Bolsa de Nova York. “Há espaço para o preço doméstico subir, mas dependeria do aquecimento da demanda interna e de uma maior procura do produto brasileiro por importadores”, pondera.

     Um mercado que está com os preços aquecidos é o de fios, cuja demanda aumentou recentemente, após ter sido duramente afetada pela pandemia do novo coronavírus. Esta reação causou um problema de oferta de fios para o setor têxtil, que está pagando mais. “Porém, no momento, nem a retirada da TEC para a importação de fios seria suficiente para uma redução nos preços, que devem seguir firmas”, aposta o analista.

     Em relação a comercialização da safra 2019/20, Bento relata que de 70% a 80% da oferta já foi negociada. Para a temporada 2020/21, o percentual comercializado é de 40%.

     Sobe a próxima safra, até o momento, o analista não vê a necessidade de revisar a última estimativa de SAFRAS & Mercado para a área brasileira em 2020/21, que é de 1,508 milhão de hectares, cerca de 8% menor ao cultivado em 2019/20. Já a produção deve somar 2,595 milhões de toneladas em 2020/21.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA