Algodão cai em NY seguindo petróleo, mesmo com piora nas condições das lavouras

106

     Porto Alegre, 29 de setembro de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços mais baixos nesta terça-feira.

     Em uma sessão volátil, NY caiu mesmo com a piora nas condições das lavouras, demonstrada no relatório semanal do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Fatores técnicos pressionaram as cotações, com realização de lucros, mas a queda do petróleo foi decisiva para puxar para baixo o algodão.

     O dia foi de aversão ao risco nos mercados, com apreensão com o crescimento dos casos de coronavírus pela Europa e pelo mundo, com temores envolvendo os impactos nas economias. As bolsas de valores e o petróleo caíram e as commodities também foram pressionadas, como o algodão.

     O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de algodão. Segundo o USDA, até 27 de setembro, 43% estavam entre boas e excelentes condições, 33% em situação regular e 24% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os percentuais eram de 45, 28 e 27 pontos, respectivamente.

     Os contratos com entrega em dezembro/2020 fecharam no dia a 65,29 centavos de dólar por libra-peso, queda de 0,40 centavo, ou de 0,6%. Março/2021 fechou a 66,03 centavos, com baixa de 0,35 centavo, ou de 0,5%.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA