Café fecha em baixa em NY com fatores técnicos e clima melhor no Brasil

236

     Porto Alegre, 05 de outubro de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta segunda-feira com preços mais baixos.

     O mercado iniciou a semana apresentando movimentos corretivos com realização de lucros, após os ganhos da sexta-feira. Afora aspectos técnicos, nos fundamentos o mercado também é baixista, com a melhora recente no clima para as floradas no Brasil. As chuvas recentes trazem alívio às regiões produtoras para a abertura das floradas que vão resultar na safra de 2021. Embora ainda seja necessário mais umidade, já é o suficiente para trazer pressão sobre as cotações.

     A revisão para cima no superávit na oferta mundial de café em 2019/20, pelos novos números da OIC (Organização Internacional do Café), contribui para o sentimento de oferta tranquila para os consumidores e é fator negativo aos preços.

     A Organização Internacional do Café (OIC) no seu relatório de acompanhamento mensal de outubro aumentou sua projeção de superávit na oferta global na temporada 2019/20. Em setembro, a OIC estimava um superávit na oferta global de 952 mil sacas, e agora estima superávit de 1,538 milhão de sacas. Houve principalmente uma revisão para baixo no consumo mundial. Segundo a OIC, o consumo atingiu 167,807 milhões de sacas, com queda anual de 0,5% (168,693 milhões de sacas em 2018/19), e abaixo das 168,392 milhões de sacas apontadas em setembro.

     Os contratos com entrega em dezembro fecharam o dia a 107,20 centavos de dólar por libra-peso, desvalorização de 1,75 centavo, ou de 1,6%. A posição março/2021 fechou a 109,40 centavos, com baixa de 1,55 centavo, ou de 1,4%.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA